Espectáculos teatrais Novembro 14

Espectáculos Teratrais a que pode assistir em Novembro em: Cascais, Elvas, Évora, Lisboa, Monte Estoril, Sintra

 

 

 

 

Cascais

 

A PALCO13 tem em palco “Dois Reis e Um Sono”, de Natália Correia, um espectáculo infantil que já antes apresentou com êxito e voltou ao palco pelas mãos de Marco Medeiros, no Auditório Fernando Lopes Graça, Parque Palmela, Cascais.

 

«O que será que acontece quando um rei dorme o sono todo e outro rei não dorme sono nenhum? Como será viver num reino em que o Ministro é preso pelo nariz, uma menina fica sem voz, não se pode fazer barulho para não acordar o rei, uma noiva fica velha de tanto esperar pelo dia do casamento e o exército marcha aos saltinhos, lança granadas de algodão e luta com fisgas? Haverá maneira de resolver toda esta trapalhada e, ao mesmo tempo, meter o aldrabão do Facilita Tudo na ordem? Venham descobrir…»

 

Desta feita, há mais uma importante razão para não perder este óptimo espectáculo, pois uma percentagem da receita da bilheteira será doada à CERCICA.

 

O musical “Dois Reis e Um Sono”  pode  ser visto até 30 de Novembro, no Auditório Fernando Lopes-Graça, Parque Palmela, Cascais. Sábados e Domingos às 16 horas.

 

 

 

Elvas

 

Elvas, novembro é o Mês do Teatro, com quatro peças para ver, entre os dias 8 e 29, no Cine-Teatro Municipal.

A primeira peça sobe ao palco a 8 de novembro, sábado, “Cucurrucucu” tendo no papel principal Tó Zé Martinho, acompanhado de outros atores, às nove e meia da noite, no Cine-Teatro Municipal. Com cerca de duas horas de duração, a peça relata-nos as peripécias de Diogo e Jorge que, depois de se despedirem das esposas, vão passar uns dias de férias à casa de campo, preparando-se para se divertirem com duas cubanas. Os bilhetes, para esta peça, estão à venda no Posto de Turismo, na Praça da República.

No sábado, 15 de novembro, em palco vão estar os alunos da Universidade Sénior de Elvas, nove e meia da noite, com “Vidas Desajustadas”, uma iniciativa que tem entradas livres.

“Ana Bola Sem Filtro”, com Ana Bola no papel principal, é a proposta para o dia 22 de novembro, sábado, e trata-se de um monólogo com humor. Para apreciar a partir das nove e meia da noite, no Cine-Teatro Municipal, sendo que os bilhetes vão estar à venda no Posto de Turismo.

O Mês do Teatro encerra sábado, 29 de novembro, com “Estranhos”, pela Associação Juvenil – ARKUS. Uma iniciativa que acontece a partir das nove e meia da noite, no Cine-Teatro Municipal e com entradas Livres.

O Mês do Teatro, em Elvas, é uma oportunidade para assistir a produções teatrais, numa organização da Câmara Municipal.

 

 

Évora

 

CENDREV apresenta “Onde é que eu já vi isto, perguntou ele”

 

De Rui Pina Coelho

 

Teatro Garcia de Resende

 

Onde é que eu já vi isto, perguntou ele é um espectáculo sobre marxismo, sobre trabalho, sobre emigração, sobre arte e sobre resistência cívica. É um espectáculo sobre a história do teatro e sobre os seus indomáveis heróis. Onde é que eu já vi isto, perguntou ele é também uma espécie de sequela de Já passaram quantos anos, perguntou ele, um texto estreado no TEP – Teatro Experimental do Porto, em 2011. Assim, agora, em Évora, voltamos a encontrar as mesmas personagens, mas mais velhas, mais cépticas e mais cansadas. Jaime, Cláudio e Helena Carlos são, agora, actores de meia-idade, artistas que insistem numa arte que parece não ter real valor num mundo dominado pela linguagem das finanças, mas que, não obstante as brutas dificuldades, não desistem. Cruzando uma bicuda teia de citações, alusões e outras referências, que vão da peça do dramaturgo eborense Manuel Peres, O grito na charneca, aos comentários a Karl Marx dos ensaístas Terry Eagleton ou Anselm Jappe, este espectáculo tenta interrogar a opressão sistémica que as instituições do poder exercem sobre os indivíduos.

 

Autor: Rui Pina Coelho

 

Dramaturgia: Rui Pina Coelho

 

Encenação: José Russo

 

Cenografia e Figurinos: Rita Abreu

 

Iluminação: Pedro Bilou

 

Interpretação: Ana Meira, José Russo e Rui Nuno

 

Canção: Versão, concertina e voz de Luis Correia Carmelo

 

Gravação: André Capela

 

Direcção Técnica e Operação: António Rebocho

 

Construção e Montagem: Tomé Baixinho, Tomé Antas e Paulo Carocho

 

Secretariado: Ana Duarte

 

Produção: Cláudia Silvano

 

Fotografia: Paulo Nuno Silva

 

O espectáculo estreou no dia 30 de Outubro, no Teatro Garcia de Resende, onde ficará em cena de quarta a sábado às 21h30 e aos domingos às 16h00, até ao dia 23 de Novembro.

 

Preço: 4 €

 

Funciona o cartão PassaporTeatro Estudante: 3€

 

Funciona o cartão PassaporTeatro Sénior

 

 

Lisboa

Centro Cultural de Belém

 

 

TWELFTH NIGHT (Noite de Reis)

 

de William Shakespeare

 

LISBON PLAYERS 2014

 

31 de Outubro a 02 de Novembro no Pequeno Auditório

 

< LEGENDADO EM PORTUGUÊS

 

MÚSICA AO VIVO >

 

COM

 

Filomena Cautela (Viola), Mick Greer (Feste), Pedro Pernas (Duke Orsino), Gonçalo Filipe Cabral (Curio/Officer), Celia Williams (Maria), Jonathan Weightman (Sir Toby Belch), Eduardo Ribeiro (Sir Andrew Aguecheek), Maria Carson (Olivia), Keith Davis (Malvolio), Tomás Anderson (Sebastian), Norman McCallum (Antonio) Robert Clowes (Priest) e Cassandra Woolford (Feste's Zanie)

 

E

Trio WB: Duncan Fox (contrabaixo), João Miguel Dias (piano), Bruno Graça (clarinete)

 

ENCENAÇÃO Valerie Braddell

 

Na mais perfeita das comédias de Shakespeare, o sonho mescla-se com a realidade da vigília, e o riso tempera a dor.

 

O título com que a peça se identifica surge associado à folia festiva do dia de Reis, o 12.º após o Natal e o divertimento é nela produzido a partir dos jogos de engano e de máscara que nós humanos empreendemos em nome da pulsão amorosa.

 

O espectáculo procura exponenciar o papel que a música aqui desempenha; até mesmo Viola, a figura central feminina, partilha o nome próprio com um instrumento musical. Feste, o bobo outsider e observador, o mais sagaz das personagens da peça, conduz-nos para o interior do seu sonho encenado: o lugar ficcional de uma mediterrânica Ilíria onde todos irão manifestar o desejo pela condição de apaixonados; amarem e quererem ser alvos de Eros, esse poderoso deus irrequieto, filho de Afrodite, nascida do mesmo mar de fábula onde a tempestade inicial ocorre.

 

 

 

THE LISBON PLAYERS

 

A companhia The Lisbon Players foi fundada em 1947 e instalou-se no Estrela Hall, em Campo de Ourique, desde então sua casa-mãe. É a mais antiga companhia em função contínua em Lisboa, e a segunda mais antiga do país.
Nos primeiros tempos, a companhia era composta essencialmente por expatriados britânicos e de outras nacionalidades de língua inglesa que viviam em Lisboa. Nos últimos anos tem deixado de ser assim e embora mantendo o seu propósito original de apresentar peças em língua inglesa, os elencos e as equipas são agora uma autêntica mescla de nacionalidades sendo que a grande maioria dos espectadores são de nacionalidade portuguesa. 

 

Teatro da Garagem

 


78a CRIAÇÃO DO TEATRO DA GARAGEMTEATRO TWITTER, de Carlos J. Pessoa

 

13 DE NOVEMBRO A 7 DEZEMBRO, QUARTA A DOMINGO ÀS 21.30 no TEATRO TABORDA

 

Espectáculo comemorativo dos 25 anos do Teatro da Garagem

Encenação de Carlos J. Pessoa com actores/actrizes que fazem parte da história da Companhia e jovens actores:

Akiyo Matsumoto, Ana Palma, Ana Tang, Beatriz Godinho, Beatriz Pessoa, Carla Bolito, Carolina Salles, Cirila Bossuet, Danae Christopoulou, Diogo Bento, Emanuel Arada, Fernanda Neves, Fernando Nobre, Filipe Duarte, Flávia Gusmão, Frederico Barata, Ivo Melo, Joana Liberal, João Didelet, Jorge Andrade, José Espada, José Peixoto, Maria João Vicente, Maria Leite, Martina Svobodova, Miguel Damião, Miguel Mendes, Nádia Yracema, Nuno Nolasco, Nuno Pinheiro, Panagiota Apostolidou e Sílvia Filipe.

 

O Teatro da Garagem é uma estrutura financiada pela Presidência do Conselho de Ministros – Secretaria de Estado da Cultura e DGArtes e apoiada pela Câmara Municipal de Lisboa / EGEAC.BILHETES €10 a €5

Reservas e informações 21 885 41 90 | 96 801 52 51 João Belo

| Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

TEATRODAGARAGEM | TEATRO TABORDA

 

Monte Estoril

 

O Auto da Barca do Inferno e Auto da India de Gil Vicente, são uma sátira impiedosa à sociedade portuguesa do Século XVI, ainda que com uma grande actualidade, quer no texto quer na leitura das personagens.

Obras em que se mantém vivo um retrato da Humanidade, com críticas que não poupam ninguém... se ontem foram fidalgos, padres ou magistrados mas também sapateiros e ladrões; hoje, podemos encontrar no texto paralelismos aos temas do nosso quotidiano.

 

Carlos Avilez retoma assim estes textos, estreados pelo TEC no Dia de Portugal na Expo 70 em Osaka, no Japão, numa nova versão musical, acessível a todas as idades.

 

Trata-se de uma reflexão sobre a contemporaneidade de temas como: a igreja, o tráfico humano, a corrupção, o desemprego, a pobreza ou a injustiça social... sustentando o que é a universalidade da obra de Gil Vicente.

 

 

 

de Gil Vicente

 

encenação Carlos Avilez

 

cenografia | figurinos Fernando Alvarez

 

música original | desenho de som Hugo Neves Reis e Pedro F.Sousa

 

dramaturgia Miguel Graça

 

coreografia Natasha Tchitcherova

 

desenho de esgrima Eugénio Roque

 

fotografia Ricardo Rodrigues

 

interpretação

 

António Marques | Bruno Ambrósio | Bruno Bernardo | David Esteves | Fernanda Neves | Filipe Abreu | Gonçalo Romão | João Cachola | José Condessa | Luiz Rizo | Marta Correia | Raquel Oliveira | Sérgio Silva | Teresa Côrte-Real | Vanessa

 

M/ 12 anos

 

13 NOV a 27 DEZ

 

ESCOLAS

 

(horário escolar/ manhã e tarde) - por marcação

 

preço bilhetes : alunos 5,00€ | acompanhantes do grupo : gratuito

 

 

PÚBLICO EM GERAL

 

de 4ª a Sábado às 21.30h

 

 

preço bilhetes: normal 10.00 € | c/ desconto < 25 anos, estudante, sénior, profissional de espectáculos 7,50 € | estudante escolas de teatro e grupos (mais de dez pessoas) 5,00 €

 

INFORMAÇÕES E RESERVAS

21 467 03 20

 

 

Sintra

"MEDOS" no Olga Cadaval

Sérgio Godinho marcará presença no próximo dia 9 de Novembro, no Centro Cultural Olga Cadaval em Sintra, para acompanhar a umbigo - companhia de teatro no espectáculo de teatro intitulado "MEDOS", que parte da sua obra "O pequeno livro dos medos". Sérgio Godinho participará numa conversa com o público, logo no final do espectáculo, onde se pretende, através de um contacto próximo e pessoal, partilhar com o público todo o processo, desde do acto de escrever um livro até este ser trabalhado e transformado num espectáculo teatral. Como os sentidos evoluem e como se transformam com as interpretações e visões dos vários intervenientes e como, no final, se consegue um espectáculo que reflecte muito mais do que cada uma das visões individuais.
Vimos por este meio convidá-lo a assistir a este espectáculo, agradecendo desde já todo o tipo de divulgação.  
 
"A Umbigo surpreendeu-me ao adaptar de maneira tão ágil este texto, este livro e os seus universos, que são vários.
É feita de processos eficazes e simples e talentosos, a tradução para teatro. E faz-me descobrir esquinas novas nos recantos agora com nova luz. Agora habitadas por adultos e crianças de várias idades (aliás sou uma delas, a que espreito). Gosto muito de saber que um texto não é imutável, e mais, que é um ponto de partida para outras artes. E se for um corpo e uma voz em movimento a incarná-lo, então, é gosto a gosto. Na Umbigo, eles nunca acharam que era fácil. Partiram bem, chegaram melhor. Dou-me por muito satisfeito, e isso é um ponto de chegada e o aplauso a duas mãos."

Sérgio Godinho

 

Medos
umbigo - companhia de teatro
DATA: 9 de Novembro 
LOCAL: Centro Cultural Olga Cadaval 
Horário: 16 h
SINOPSE
A partir do livro "O pequeno livro dos medos", de Sérgio Godinho, falamos sobre os medos, mas sem meter medo. Um espetáculo performativo, com humor e jogos cénicos, onde muitos se identificarão com os medoscontados. Entrada Livre 

FICHA TÉCNICA E ARTÍSTICA
DRAMATURGIA E ENCENAÇÃO: rogério paulo
INTERPRETAÇÃO: André Imenso Cruz, Ricardo Barceló, rogério paulo, Patrícia Pinheiro  
DESENHO DE LUZ, CRIAÇÃO DE FIGURINOS E CENÁRIO: umbigo - companhia de teatro
EXECUÇÃO DE FIGURINOS: Maria João Matos e umbigo - companhia de teatro
GRAFISMO: roger
PRODUÇÃO: umbigo - companhia de teatro
DURAÇÃO: 60 minutos aprox.
CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: M/6
 
PREÇO: 7,50 euros
Desconto de 2,50 euros para menores de 12 anos, maiores de 65 anos e grupos de 10 ou mais pessoas.
Disponível para escolas (no dia 11 de novembro às 10h30) através de marcação para o telefone 21 910 71 10,
para a Produção do Centro Cultural Olga Cadaval, de 2ªa 6ª feira entre as 10h00 e as 13h00 e as 14h30 e as 17h00.
(convites para a imprensa com reserva prévia)
 

 

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!