Exposições Agosto 14

Exposições que podem ser visitadas durante o mês de Agosto em: Estremoz, Palmela, Peniche, Porto, Samora Correia, Vouzela

 

 

 

 

Estremoz

 

 

Posto de Turismo de Estremoz

 

“TRABALHOS DE PINTURA DA ACADEMIA SÉNIOR” exposição de trabalhos de pintura das alunas da Academia Sénior de Estremoz no Posto de Turismo de Estremoz (até 3 de agosto);

 

 

 

Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte 

 

 

 

“OS POETAS POPULARES E O BONECO DE ESTREMOZ” - Esta mostra faz uma ligação entre duas artes: a poe­sia e a barrística. Os poetas vão assim refletir sobre a arte bonequeira, dando-nos a conhecer, através da sua mundividência muito própria, como entendem os Bone­cos, as temáticas a estes associadas e a Candidatura a Património da Humanidade – Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte (até 24 de agosto).

 

 

 

Galeria Municipal D. Dinis 

 

 

 

“OS ARTESÃOS E A RAINHA SANTA ISABEL”mostra coletiva de artesanato, onde os artistas populares de Estremoz estão em destaque. Uniram-se à mostra as empresas localizadas no Largo Dom Dinis, como os Restaurantes “A Cadeia Quinhentista” e “São Rosas”,  as lojas “Ela Pedra” e “Alma do Tempo”, e a “Pousada Rainha Santa Isabel”. Nestas estarão patentes figuras realizadas de forma artesanal sobre a Rainha, como complemento ao que se pode observar na exposição principal -  Galeria Municipal D. Dinis (até 14 de setembro);

 

Centro Cultural Dr. Marques Crespo

“CARTAZES ANTIGOS DO ARQUIVO MUNICIPAL” - mostra de cartazes antigos alusivos a Cinema, Teatro e Espetáculos no Teatro Bernardim  Ribeiro entre 1923-1975, pertencentes à vasta coleção de cartazes do Arquivo Municipal – Sala do Arquivo Municipal no Centro Cultural Dr. Marques Crespo (até 29 de setembro);

 Museu Municipal de Estremoz

 

 

 “COR’ANTES DO PÃO AMASSADO”,exposição essencialmente figurativa, com profundas raízes no surrealismo, mas também no fantástico, a qual é uma janela para o rico imaginário do autor Carlos Godinho - Sala de Exposições do Museu Municipal de Estremoz (até 28 de setembro).

 

 Evoramonte

 

 

 

 

 

 “SETE FILHAS, SETE IRMÃS” – Pintura de Sally Stafford e India Flint, no Castelo de Evoramonte (até 18 de Agosto).

 

 

 

Palmela

 

 

Até 2 de novembro, a Igreja de Santiago, no Castelo de Palmela, é palco da exposição “Catapultas e Máquinas de Cerco (séc. V a.C. – séc. XV d.C.)”, numa organização de Cultura Entretenida com o apoio da Câmara Municipal de Palmela.

Reproduções de catapultas, gruas, arietes, torres de assalto e peças de artilharia, entre outras, estão no centro desta mostra, que pretende dar a conhecer a tecnologia e a engenharia bélica da Antiguidade, de acordo com as perspetivas dos sitiados e dos sitiadores. Na exposição, organizada por blocos históricos, com especial destaque para as civilizações grega e romana, e para a Idade Média, apresenta-se a forma como estas máquinas se constituíram como veículo através do qual os cientistas de cada época aplicaram os seus conhecimentos.

Incluem-se, ainda, objetos diversos, que reproduzem relevos e peças arqueológicas, mecanismos alternativos às molas de torção, projéteis e ilustrações de cercos, representativos de diferentes épocas históricas.

Mais informação em www.culturaentretenida.com

Horário de verão (até 7 de setembro): 10h00/20h00

 

 

Peniche

 

É inaugurada dia 10 de Agosto a exposição "Pedras com História – Monumentos da Vila de Atouguia da Baleia", no Centro Interpretativo de Atouguia da Baleia – CIAB, Perniche. A mostra pode ser visitada até 27 de Setembro.

 

 Porto

“40 ideias, 40 imagens…” é o título da exposição fotográfica que inaugura hojeno Museu dos Transportes e Comunicações – Alfândega do Porto e para a qual convidamos a comunicação social a estar presente.

Centrada no sentimento de Liberdade no 40º ano da Revolução de Abril, a exposição resulta do desafio lançado pelo Instituto Português de Oncologia do Porto FG, EPE (IPO) a um conjunto de pessoas, construindo-se a partir de dois mundos diferentes: um que apresenta a visão das crianças e adolescentes (dos 3 aos 16 anos) que se confrontaram com uma doença grave e que se encontram em tratamento ou já o terminaram no Serviço de Pediatria do IPO do Porto; outro que parte da visão de adultos com responsabilidades públicas nacionais em diferentes áreas.

O resultado é uma exposição surpreendente onde se conjugam testemunhos que nos levam a refletir sobre a sociedade em que vivemos e o modo como nos relacionamos com o mundo.

A exposição é organizada pela Equipa Lúdico-Pedagógica do IPO do Porto e conta com o apoio do Museu dos Transportes e Comunicações. Fica patente ao público no Museu dos Transportes e Comunicações – Alfândega do Porto até final do mês de agosto. Entrada gratuita.

Samora Correia

 

O Palácio do Infantado, em Samora Correia, recebe de 13 de Agosto (Inauguração Quarta-feira às 17.30h)até Janeiro de 2015, a Exposição de Fotografia e Instalação “Oliveiras, Irmãos – Símbolos de uma época”, que marca também o início das Festas em Honra de Nª. Sra.ª da Oliveira e Nª. Sra.ª de Guadalupe.

 

Esta é uma exposição que traça cronologicamente o percurso de uma das Casas Agrícolas/váriasGanadarias mais importantes do país, fundada em 1895 por João Pedro Oliveira através de vacas de Tomáz Piteira e vacas da Companhia das Lezírias, com semental de Infante da Câmara, agregando posteriormente reses de Norberto Pedroso e Francisco dos Santos (Alfaiate). Entretanto, por morte do seu titular em 1920, passa a anunciar-se a ganadaria em nome de Viúva Oliveira e Filhos, mantendo o ferro inicial.

 

Mais tarde todo o efectivo foi substituído por reses de Cláudio Moura (Soler) e em 1938 são adquiridas vacas de Joaquim Oliveira Fernandes e Pinto Barreiros, às quais é lançado um semental de Alves do Rio, eliminando-se toda a origem Soler, vendida a José Pedrosa e Vicente de Almeida.

 

Em 1944 forma-se a Sociedade Oliveiras Irmãos que adopta o ferro actual, mantendo-se, desde então, sem introdução de reses de outra proveniência, definindo morfológica e funcionalmente um animal que tem sido base ou cruzamento ideal de muitos outros efectivos, podendo assim considerar-se como um encaste tipificado. O direito a membro da “Union de Criadores de Toros de Lidia” é adquirido em 1963 por compra do ferro de António Oliveira Durão.

 

Já mais recentemente,  em 2003, forma-se a sociedade Oliveiras - Exploração Agrícola, Lda; que aumenta o efectivo com reses de Gimenez Indarte que são levadas em separado.

 

Dizer ainda que esta exposição conta com várias fotografias de família, fotografias de Corridas e dos Toiros mais imponentes e importantes da ganadaria nestes mais de 100 anos de existência. Para além das fotos, os visitantes podem tomar contacto com inúmeros objectos familiares e da Herdade, como os Ferros da Ganadaria, Capotes, Muletas, Documentos dos Animais, e os trajes de luces mais emblemáticos dos toureiros da Baracha – António José Oliveira e Eduardo Oliveira.

 

 

Vouzela

Pintura sobre os caminhos de Santiago no Museu Municipal

 

O Museu Municipal de Vouzela vai acolher, de 6 a 31 de agosto, a exposição de pintura “Os Caminhos de Santiago”, da autoria de António Carvalho.

A inauguração será no dia 6 de agosto, pelas 17h, e contará com a presença do Presidente da Câmara, Rui Ladeira.

A mostra, inspirada na obra do espanhol Chencho Pardo, é uma homenagem “de alguém que já percorreu alguns caminhos de dentro de si e outros, que levam a Santiago e um pouco mais longe, onde a terra encontra o mar… “.

Dados biográficos

António Carvalho nasceu em Ovar, onde reside. Frequentou o curso de Desenho Livre da Escola Superior de Belas Artes do Porto. Trabalhou com artistas conceituados como Ricardo Leite ou Mário Vitória. Hoje, é no isolamento do seu atelier em Ovar que desenvolve um trabalho alicerçado em experiências adquiridas, mas sempre com o futuro para alcançar.

Realizou exposições individuais em:

Auditório do Posto de Atendimento Turístico do Furadouro;

Galeria Vit’arte do Centro Comercial Dolce Vita de Ovar;

Casa dos Açores do Norte, Porto;

Sala de Exposições da Biblioteca Municipal de Ovar;

Casa de Espectáculos e da Cultura do Município da Sertã.

Galeria Municipal da Torreira, Município da Murtosa.

Museu Etnográfico Dr. Louzã Henriques, Município da Lousã.

Galeria da Casa dos Açores, Lisboa.

Biblioteca Municipal de Estarreja.

Galeria Tomás Costa, Oliveira de Azeméis.

Junta de Freguesia de Ovar.

Biblioteca Municipal de Vale de Cambra.

Mosteiro de S. Salvador de Grijó.

Real Irmandade da Rainha Santa Mafalda, Arouca.

Museu de Ovar

Museu Júlio Dinis – Uma Casa Ovarense

Mosteiro de Tibães - Braga

Participou nas exposições colectivas:

Mostra Colectiva de Pintura de Artistas do Concelho de Ovar, 2011, 2012 e 2013.

Casa Museu Guerra Junqueiro, Porto. 

 

 

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!