Exposições Março 15

Exposições que podem ser visitadas durante o mês de Março em: Algés, Amadora,  Condeixa, Lamego,  Lisboa, Palmela, Vila Franca de Xira
 
 

 

 

 

 

 

Algés

 

 

 

 

 

É inaugurada dia 26 de Março, às 18.30 h, a exposição “Laços de Família”, com obras de Menez, Ruy Leitão, Joana Leitão Salvador e Madalena Leitão, no Centro de Arte Manuel de Brito (CAMB) em Algés. A mostra estará patente ao público de 27 de Março a 13 de Setembro de 2015.
Esta exposição pretende estabelecer um exercício de diálogo e de confrontação entre as obras tão diferentes de quatro gerações da mesma família. E questionar se haverá genes criativos que se vão transmitindo neste caso de mãe para filho e netas?

 

 

 

 

 

 

Amadora

 

 

 

Galeria Municipal Artur Bual

 

Exposição “Escultura de Ar Livre – Amadora 2014”

Está patente até 26 de Abril de 2015 a Exposição “Escultura de Ar Livre – Amadora 2014”, na Galeria Municipal Artur Bual – Casa Aprígio Gomes e espaço envolvente. Este espaço acolhe imagens em relevo de dez artistas, em que o sentido estético, as formas e os materiais são distintos, e, também por isso, criadores de uma mostra heterogénea no resultado, mas homogénea na inspiração e dedicação destes artistas plásticos.


 
Casa Roque Gameiro
 
È inaugurada a 14 de Março, às 16 horas a exposição "Ilustrações inéditas de Alfredo Roque Gameiro para ver na Amadora". A Casa Roque Gameiro irá expor ao público algumas obras inéditas de Alfredo Roque Gameiro, feitas para a primeira História de Portugal Ilustrada, pertencentes ao espólio do aguarelista adquirido pela autarquia, mas que nunca haviam sido mostradas.
 
Trata-se de ilustrações feitas pelo mestre aguarelista para a 3.ª edição da História de Portugal de Manuel Pinheiro Chagas editada no final do séc. XIX, em conjunto com Manuel de Macedo e Alfredo Morais. Após o lançamento de duas edições, que estavam já esgotadas, a editora resolve inovar, planeando uma 3.ª edição, ilustrada, convidando para isso os ilustradores Manuel de Macedo, Alfredo Morais e Alfredo Roque Gameiro, que coordenou todo o trabalho ilustrativo.

Exposição patente de 14 de março a 2 de maio
Casa Roque Gameiro
Pct. 1.º Dezembro, 2 – Venteira (2700-688) Horário: 3.ª feira a sábado, das 10.00h às 12.30h e das 14.00h às 17.30h Domingo, das 14.30h às 17.30h Encerra 2.ª feira e feriados
 
 
 
 

Condeixa

 

Galeria Manuel Filipe

Exposição: Manuel Filipe – fase negra

Manuel Filipe foi figura de proa na pintura portuguesa de finais dos anos quarenta. Nesta época pintou algumas das obras mais importantes das artes plásticas em Portugal! São alguns desses trabalhos, fase que o artista apelidou de “Fase negra”, que a Câmara Municipal, através da Galeria Manuel Filipe, expõe. Esta mostra reveste-se de grande importância já que estas pinturas não estão patentes ao grande público há cerca de 40 anos. É, por isso, para a Câmara Municipal, e para a Galeria Manuel Filipe, uma grande honra ter a possibilidade de exibir, aos apreciadores de Arte e de Pintura em particular, estes quadros, introdutores do neorrealismo em Portugal.

- Encerramento da exposição: dia 22 de março

- Horário de funcionamento:

Segunda a sexta-feira – 9 horas às 13 horas; 14 horas às 18 horas

Sábado e domingo – 10 horas às 13 horas; 13.30 horas às 17.30 horas

Até 22 de Março de 2015, das 09:00h às 18:00h
Galeria Manuel Filipe

 

 

 

Lamego

“Cister no Douro” chega ao Museu de Lamego

 Depois da estação de metro do Porto da Casa da Música, “Cister no Douro” chega agora ao Museu de Lamego. A partir de 31 de janeiro e até 26 de abril, um território histórico, detentor de um património único, revela-se através de experiência de som e imagem, numa instalação que recria um claustro, que sintetiza uma filosofia de vida.“Cister no Douro” não é, por isso, uma exposição tradicional, mas a tradução de um espaço maior, de uma Ordem que transformou um vale e que desempenhou um papel primordial na excelência hoje reconhecida à região como Património da Humanidade.Com comissariado científico de Nuno Resende e organizada pela Direção Regional de Cultura do Norte, Museu de Lamego e projeto Vale do Varosa, “Cister no Douro” assume-se como uma instalação multimédia, destinada a divulgar a herança histórica, cultural, arquitetónica e artística legada pela presença desta Ordem monástica na região.Ao todo são seis os testemunhos materiais das comunidades cistercienses instaladas durante a Idade Média e o período moderno a sul do Douro, duas casas femininas e quatro masculinas: Tabosa, Arouca, S. João de Tarouca, Santa Maria de Salzedas, São Pedro das Águias e Santa Maria de Aguiar.Todas, à exceção de Tabosa, fundadas no rescaldo da reconquista e sob a matriz “Ora et Labora”, colocaram a espiritualidade ao serviço de Deus, mas também do conhecimento, possibilitando o avanço de novas técnicas, instrumentos e saberes.A chegada de Cister no século XII viria a marcar em definitivo a História de um território hoje reconhecido internacionalmente. Património da Humanidade, deve a sua classificação ao trabalho das sucessivas comunidades de cistercienses que transformaram o Vale do Douro num espaço de cultura e saber, modificando a paisagem e o território. É este legado que “Cister no Douro” traz a partir do próximo dia 31 de janeiro ao Museu de Lamego, numa instalação sustentada por imagem impressa e projetada e por uma sonoplastia capaz de envolver o visitante.

 

 

 Lisboa

 

 

 

Na 5ª Feira, dia 19 de Março de 2015, das 17 h às 19 h, Inauguração da Exposição de Pintura de Joaquim Carvalho "Refracções – Fernando Pessoa de Durban a Lisboa", hoje, às 17 horas, no Palácio do Menino de Ouro, Rua da Junqueira, Lisboa - (junto ao edifício do Museu dos Coches). Esta mostra realiza-se no âmbito do Congresso Internacional 100 Anos de ORPHEU (a decorrer de 25 a 28 de Março de 2015 na Fundação Calouste Gulbenkian) e  será visitável até 19 de Abril de 2015 no seguinte horário: Excepto às terças-feiras, todos os dias da semana incluíndo Sábados e Domingos, das 14 horas às 18 horas.
 
 

 

 

 

 

 

Palmela


O Centro de Recursos para a Juventude de Quinta do Anjo recebe, entre 24 de Fevereiro e 31 de Março, a exposição de desenhos de Patrícia Guerreiro,Anime Caramelo”. Promovida pela Câmara Municipal de Palmela com a artista, esta mostra cruza personagens do universo da animação japonesa com os cenários das Festas Populares de Pinhal Novo. A autora, Patrícia Guerreiro, tem 20 anos e é estudante de design e produção gráfica no Instituto Superior de Educação e Ciências em Lisboa. A entrada é livre.

 

Vila Franca de Xira

Atéao dia 25 de Outubro de 2015, no Núcleo Sede do Museu Municipal de Vila Franca de Xira, a exposição “A Arte no Concelho de Vila Franca de Xira – Grandes Obras” dá a conhecer aos visitantes e estudiosos um património artístico de inesperada riqueza no que toca ao recheio das suas igrejas, capelas, palácios, antigos conventos, museus e coleções privadas e são ainda numerosas as obras de arte de evidenciada qualidade que chegaram aos nossos dias, entre escultura, pintura, azulejos, talha dourada, têxteis, mobiliário, lapidária, ferragem e outras modalidades.

Exposição comissariada por Vitor Serrão e José Meco

 
 

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!