Teatro abril 14

Espetáculos teatrais que vão ser apresentados no mês de março de 2014, em: Amadora, Cartaxo, Figueira da Foz, Monte Estoril, Porto,

 

 

 

Amadora

 

 

Teatro “Biografia de Shakespeare” com Teatro Passagem de Nível

 

Biblioteca Municipal Fernando Piteira Santos

 

12 de abril às 16.00h

 

Para assinalar os 450 anos do nascimento de William Shakespeare, a Biblioteca Municipal Fernando Piteira Santos promoverá, no próximo dia 12 de abril (sábado), pelas 16.00h, uma peça de teatro intitulada “Biografia de Shakespeare”, levada a cabo pelo grupo de teatro - Teatro Passagem de Nível.

 

E no dia 23 de abril, às 16.00h, haverá “Dramatização Teatral com Marionetas” sobre a obra “Sonho de uma noite de verão”, comédia escrita por Shakespeare em meados da década de 1590.

 

Estas atividades são dirigidas a crianças a partir dos 6 anos de idade, acompanhadas por um adulto e a participação é gratuita, mas necessita de inscrição prévia.

 

Biblioteca Municipal Fernando Piteira Santos

 

Av. Conde Castro Guimarães – Venteira
Telefone: 21 436 90 54
Fax: 21 494 87 77
E-mail:
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
www.cm-amadora.pt/bibliotecas

 

Horário da Biblioteca:

 

2.ª feira: das 10.00h às 18.00h, das 20.00h às 24.00h

 

3.ª a 6.ª feira: das 10.00h às 19.00h, das 20.00h às 24.00h

 

Sábado: das 10.00h às 18.00h, das 20.00h às 24.00h

 

 

Cartaxo

 

 

"O INSPECTOR GERAL"

 

de Nikolai Gogol

 

Encenação e Adaptação de Frederico Corado

 

Centro Cultural do Cartaxo

 

SESSÃO EXTRA A 

 

25 DE ABRIL ÀS 16.00 HORAS

 

Após sessões cheias de público que aplaudiu de pé, todos os dias, no Centro Cultural do Cartaxo, "O Inspector Geral", a Área de Serviço vai efectuar uma sessão extra do espectáculo, por sugestão do Presidente da Câmara do Cartaxo, Dr. Pedro Ribeiro, no dia 25 de Abril, às 16.00 horas, inserido nas comemorações dos 40 anos do 25 de Abril e também como comemoração do segundo aniversário da Área de Serviço, associação cultural que foi criada precisamente no dia 25 de Abril de 2012, na última sessão do primeiro espectáculo que esta companhia levou à cena neste espaço, "Um Marido Ideal".

 

A Área de Serviço produziu neste dois anos “Um Marido Ideal”, “O Crime de Aldeia Velha”, “As Alegres Comadres de Windsor”, "Nápoles Milionária", "Pânico", "Trisavó de Pistola à Cinta" e agora "O Inspector Geral", todas elas com grande sucesso de público, para plateias cheias e com reacções muito entusiastas. O projecto começou por envolver unicamente elencos compostos por elementos da comunidade escolhidos em audições abertas, havendo, no último ano, uma percentagem de espectáculos nesses moldes e outra por uma companhia formada por um elenco residente.

 

O Inspector Geral”, de Nikolai Gogol, é aqui transposto da Rússia do século XIX para os nossos dias numa pequena cidade perdida algures em Portugal. A visita anunciada de um Inspector faz desencadear um processo em que a corrupção, a fraude, o medo e a intriga são a matéria com que se constrói uma das mais corrosivas e hilariantes comédias mundiais. Festas populares, troika, praxes, corrupção, enganos, patos e galgos, tudo à mistura! O que o torna tão ideal para celebrar os 40 anos da revolução de Abril!

 

A actualidade do humor de Gogol faz desta peça um clássico da sátira universal.

 

O Inspector Geral, escrita em 1836 por Nikolai Gogol, é sobre política - mas não só. Destila crítica a políticos e administradores de maneira geral, a subornadores e subornados, ao serviço público e à hipocrisia das instituições. Não faltam espirros ácidos à credulidade simplória e à hipocrisia insensível dos homens, mas, sobretudo dá-nos a consciência moral do ser humano, mais especificamente do tribunal interno da consciência humana.”

 

Com André Diogo, João Nunes, Sara Xavier, Vânia Calado, Mauro Cebolo, Mário Júlio, Pedro Ouro, Pedro Lino, Júlio Cardoso, Norberto Sousa, Luís Rosa Mendes, Paulo Cabral, Daniel Mateus, Constança Lopes, Ana Rita Oliveira, Carolina Viana, José Manuel Rodrigues, Miguel Viegas, André Vieira, José Ribeiro, Rosário Narciso, Mena Caetano, Jeanine Steuve, Isabel Coelho, José Falagueira, Maria Cerqueira, Bruna Diogo Santos, Amélia Martins, César Cordeiro, Susana Pais, Carlos Ramos, Guilherme Vicente, Inês Perdigão, Andreia Lourenço e Inês Barbosa

 

Encenação e Adaptação: Frederico Corado | Concepção e Execução Cenográfica: Frederico Corado, Carlos Ouro e Mário Júlio | Produção CCC: Marco Guerra e Carlos Ouro | Produção Área de Serviço: Frederico Corado, Florbela Silva e Vânia Calado com a assistência de Pedro Ouro, Carolina Viana, Rita Correia Alves | Grafismo: Cátia Garcia | Assistente de Encenação: Florbela Silva, Maria Ramalho e Rita Correia Alves | Desenho de Luz: Ricardo Campos | Direcção Musical: Maestro Nuno Mesquita com a Banda da Sociedade Cultural e Recreativa de Vale da Pinta | Direcção de Cena: Mário Júlio| Contra-Regra: Filipe Falua | Fotografia: Vitor Neno | Montagem: Mário Júlio e Vitor Lima| Uma Produção do Área de Serviço com o Centro Cultural do Cartaxo e a Mosaico e Entrar Em Palco

 

Apoios Câmara Municipal do Cartaxo | Centro Cultural do Cartaxo | Casa das Peles | Sotinco | Revlon | Sociedade Cultural e Recreativa de Vale da Pinta | JHonório | J.M.Fernandes - Vidreira e Aluminio | Manel D'Água | CEC - Centro de Ensino de Cabeleireiro de Santarém | Negócio de Familia | E.Nove | Rádio Cartaxo | Revista Dada | Teatral-mente Falando | Cultura de Borla | Guia dos Teatros

 

Centro Cultural do Cartaxo | Rua 5 de Outubro | 2070-059 Cartaxo, Portugal

 

Teatro . M12 | Bilhetes: 4€

 

 

Figueira da Foz

A Cena Lusófona apresenta esta quinta-feira à noite, no Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz, a última sessão em Portugal do espectáculo “As Orações de Mansata”, de Abdulai Sila.

O espectáculo é uma co-produção com A Escola da Noite, a Companhia de Teatro de Braga e o Teatro Vila Velha (Salvador, Brasil) e foi construído no âmbito do projecto internacional P-STAGE, financiado pela União Europeia. Em palco estão 13 actores oriundos de 6 países de língua portuguesa: Angola, Brasil, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe.

 

“As Orações de Mansata”, de Abdulai Sila, é o primeiro texto dramático impresso da literatura guineense. Ele oferece um impiedoso retrato dos mecanismos de corrupção, luta pelo poder e violência extrema que caracterizam vários regimes políticos em todo o mundo e têm marcado, de forma trágica, a realidade da Guiné-Bissau nas últimas décadas. A busca das orações de Mansata, que supostamente darão aos seus detentores os poderes necessários para dominar o povo, desenrola-se num processo em que a traição, a tortura e a morte são reduzidas à banalidade.
Dirigido por António Augusto Barros e com um exuberante elenco multi-nacional, o espectáculo conta ainda com as inconfundíveis marcas artísticas de João Mendes Ribeiro e Luisa Bebiano (cenografia), Jarbas Bittencourt (direcção musical e música original), Zebrinha (movimento) e Ana Rosa Assunção (figurinos).
 
O P-STAGE e a digressão internacional
O espectáculo é a face mais visível do P-STAGE – IV Estágio Internacional de Actores, um projecto de formação, criação e difusão teatral desenvolvido pela Cena Lusófona em parceria com diversas outras instituições nacionais e internacionais, que conta com o apoio da União Europeia, através do programa ACP Cultures+.
O projecto teve início em 2012 e é uma parceria entre a Cena Lusófona, o Elinga Teatro (Angola) e a AD – Acção para o Desenvolvimento (Guiné-Bissau). Numa primeira fase, foram realizadas três oficinas de interpretação, em Angola, na Guiné-Bissau e em São Tomé e Príncipe. A partir dessas oficinas foram seleccionados sete actores africanos, que se juntaram a seis actores profissionais – quatro portugueses e dois brasileiros – para compor o elenco do espectáculo final. “As Orações de Mansata” estreou em Coimbra em Outubro de 2013 e foi já apresentado em Braga, Évora, Campo Benfeito (Castro Daire), Bragança e Santiago de Compostela. Esta quinta-feira despede-se de Portugal na Figueira da Foz, partindo logo a seguir para Bissau (Centro Cultural Franco-Bissau-Guineense, 8 e 9 de Maio) e Luanda, Angola (Teatro Nacional, 15 e 16 de Maio).

 

Na Figueira da Foz, o espectáculo é às 21h30 e os bilhetes têm o preço único de 5 Euros, podendo ser comprados on-line, a partir do site do CAE.
 
TEATRO
As Orações de Mansata
de Abdulai Sila
co-produção Cena Lusófona / A Escola da Noite / Companhia de Teatro de Braga / Teatro Vila Velha (Salvador, Brasil)
dramaturgia e encenação António Augusto Barros elenco Amador Fernandes, Ella Nascimento, Emílio Lucombo, Igor Lebreaud, Jorge Biague, Marleny Musa, Miguel Magalhães, Paulo Figueira, Ridson Reis, Rogério Boane, Solange Sá, Trindade Gomes da Costa, Wilson de Sousa cenografia João Mendes Ribeiro e Luísa Bebiano figurinos e adereços Ana Rosa Assunção direcção musical Jarbas Bittencourt apoio coreográfico / movimento Zebrinha desenho de luz Fernando Conceição
2h30 com intervalo > M/12
 
Figueira da Foz, Centro de Artes e Espectáculos
17 de Abril
quinta-feira, 21h30

Monte Estoril

Auditório Mirita Casimiro

O Teatro Experimental de Cascais tem em cena  a peça Ictus, de Miguel Graça, com encenação de Carlos Avilez. O espectáculo pode ser apreciado até 27 de abril, no Teatro Municipal Mirita Casimiro no Estoril.

  

Ictus é uma obra inédita Miguel Graça, autor português contemporâneo, que tendo colaborado nos últimos anos como dramaturgista de Carlos Avilez, conhece bem as suas linhas temáticas  e de encenação.

O texto de Ictus é uma reflexão metafórica sobre o tempo em que vivemos e o papel do indivíduo numa sociedade paradoxalmente fragmentada, no sentido em que nos distanciamos cada vez mais do Outro, e totalitária, na medida em que a globalização trouxe também uma massificação do pensamento e da acção.

O Teatro Experimental de Cascais sobe ao palco com um grande elenco e com várias gerações de actores representadas – para além de figuras centrais da companhia que o público tão bem conhece, como Teresa Côrte-Real e Sérgio Silva, e de jovens actores que fizeram escola no TEC como Raquel Oliveira, David Esteves e Gonçalo Romão, a sala do Teatro Municipal Mirita Casimiro tem actores convidados bem conhecidos do grande público – figuras do teatro e da TV que cujo desempenho está bem presente na memória de todos nós: Fernando Luís, o eterno Médico de Família que agora tem uma prestação na novela Sol de Inverno (SIC) e uma dupla que fez recentemente as delícias das camadas mais jovens, pelo seu carismático desempenho em I love it (TVI) Pedro Caeiro e Tobias Monteiro.

Ictus

autoria Miguel Graça 
encenação Carlos  Avilez

cenografia|figurinos Fernando Alvarez
produção|comunicação Elsa Barão
fotografias Ricardo Rodrigues
desenho gráfico cartaz Isabel Alves
direcção de montagem Manuel Amorim
montagem|contra-regra Rui Casares
assistência de ensaios|operação técnica Jorge Saraiva
secretariado Inácia Marquesinterpretação David Esteves, Fernando Luís, Gonçalo Romão, Pedro Caeiro, Raquel Oliveira,  Sérgio Silva, Teresa Côrte-Real e Tobias Monteiro


Distribuição
Ele             Sérgio Silva
Caçador      Tobias Monteiro
Ela             Teresa Côrte-Real
Autor          Pedro Caeiro
Actriz         Raquel Oliveira
General      Fernando Luís
Soldado      David Esteves
Barman       Gonçalo Romão
Cão            David Esteves
Fugitivo       Gonçalo Romão
Louco         Gonçalo Romão

Porto

Teatro Rivoli

LOOP - De 27 de março a 6 de abril de 2014

Em LOOP, Francisco Menezes está sozinho em palco. Mas, precisará de mais para conquistar o Universo? Ele é um verdadeiro One Man Show e LOOP comprova-o! Para assistir a este espetáculo único, no Pequeno Auditório do Teatro Rivoli, no Porto.

Loop não se descreve. Ouve-se, vê-se, sente-se.
Loop é algo de absolutamente único. O que apenas uma voz faz acontecer em Loop, desde o primeiro minuto, não é igual a nada.
Loop está entre a música e a comédia, o ensaiado e o espontâneo, o zero e o infinito.
Loop vai do virtuosismo à gargalhada, do silêncio ao êxtase, do palco ao público, e volta. Mas isto são só palavras, que em
Loop não servem para nada.
Loop não se descreve. Ouve-se, vê-se, sente-se.

Um espectáculo de Francisco Menezes e Yllana
ComFrancisco Menezes
Co-Produção UAU e Atitudes Latino

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!