São Passos mostra “Animais – Seres do mesmo reino”

SaoAnimaisPepita Tristão

Animais – Seres do mesmo reino” é o título da Exposição de Pintura da artista plástica São Passos que vai ser inaugurada no próximo dia 26 de Novembro de 2018, às 14.30 horas, no Átrio Principal do Hospital Garcia da Orta, em Almada.

A mostra ficará patente até 10 de Dezembro de 2018.

“Gosto de capulanas; por esse motivo ... vesti os meus animais de estimação, com vestimentas de tecidos coloridos, como se usa no País que me viu nascer: Moçambique”, afirma a autora, cuja obra patenteia nas suas linhas e cores as suas raízes africanas.

 

Esta mostra esteve anteriormente patente com muito êxito, no Museu Municipal de Fotografia João Carpinteiro, em Elvas (Julho 2018), estando previsto que seja ainda exibida noutras localidades, como oportunamente noticiaremos.

 

 

 

 

 

 

 

SaocontoCaracolito Lito

 

 

 

A ilustração é outra das vertentes do trabalho de São Passos, que recentemente deu cor a uma história infantil de autoria de Manuela Ribeiro.

Trata-se do livro “Caracolito Lito” que no próximo dia 8 de Dezembro, entre as 11 h. e as 12.30 horas, vai ser apresentado em Braga, na Livraria “Era uma vez”, com a presença de ambas as autoras.

Haverá surpresas para as crianças.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Maria Conceição dos Santos Mestre Passos Mealha - São Passos - nasceu na cidade da Beira, Moçambique, em 1949, e em terras africanas iniciou a sua carreira artística, primeiro no campo da escultura e depois na cerâmica. A sua primeira exposição, como pintora, teve por cenário Tete, cidade moçambicana e foi realizada com o patrocínio do Governo Distrital. Seguiram-se outras presenças, individuais e colectivas, na Beira, em Joanesburgo e Pretória (África do Sul), em Blantyre e Limbe (Malawi), antes de mostrar os seus trabalhos na Europa. Viria a fazê-lo, pela primeira vez, em Julho de 1973, em Faro, numa exposição individual, que teve o patrocínio da Comissão Regional de Turismo.Regressada à África, ensinou Arte na Escola Secundária de Tete, tendo sido louvada e premiada pela Ministra da Educação (1974-1975) Graça Simbine, vindo a residir definitivamente para Portugal em 1976. Trabalhou duas décadas no jornal “Correio da Manhã” (1986/2006). Os trabalhos de São Passos desyacam-se pela sua policromia, variando a técnica entre o naif e o abstracto, denotando sempre as suas raízes africanas.São Passos está referenciada entre outros nomes das artes plásticas contemporâneas , na edição de 1995 “Aspectos das Artes Plásticas em Portugal” e em 1998 no livro “Arte 98”, ambos da autoria de Fernando Infante do Carmo. A 10 de Março de 2012 , São Passos foi empossada como Embaixadora para a Paz pela Federação Internacional da Paz. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

cyberjornal,  13 Novembro 2018

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!