Amigos de Jorge Miranda acolhem “Pombal e Oeiras”

JorgeMirandalivGui017pppcyPepita Tristão: texto)

Guilherme Cardoso (fotos)

Mais que homenagem, mais do que a apresentação de um livro, no passado sábado, dia 13 de Maio, viveu-se um autêntico encontro de amigos do historiador cascalense Jorge Miranda.

Despindo por momentos o casaco de repórter e olhando para todos os presentes que enchiam o Salão Nobre do Palácio do Marquês de Pombal, em Oeiras, facilmente a autora destas linhas, descobriu que estava rodeada por pessoas que conhecia desde há muitos anos e que tal como ela própria, em dado momento das suas vidas profissionais se cruzaram com o historiador.

JorgeMirandalivGuippcyMas voltando aos factos, “Pombal e Oeiras” é uma obra - a primeira do que promete vir a tornar-se uma vasta colecção – que reúne artigos publicados por Jorge Miranda entre Julho e Dezembro de 1999, ano de comemoração do tricentenário do nascimento de Sebastião José de Carvalho e Melo, Conde de Oeiras e Marquês de Pombal e, como sublinha o autor, “figura ímpar da história nacional e local”.

Este conjunto de artigos dispersos por vários órgãos de comunicação social, sobretudo no Jornal da Região-Oeiras, por iniciativa da Espaço e Memória - Associação Cultural de Oeiras e com o apoio da Câmara Municipal de Oeiras, deverão continuar a ser editados em livro, engrossando a colecção “Da História do Concelho de Oeiras”, da qual “Pombal e Oeiras” é o primeiro volume.

Na mesa de honra, sentaram-se para além do autor, a vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Oeiras, Marlene Rodrigues, e os apresentadores da obra e do autor, José d'Encarnação, Joaquim Boiça e Júlio Conrado.

Marlene Rodrigues deu as boas vindas aos presentes e recordou que nesse dia se estavam a comemorar diversos acontecimentos, desde o aniversário do Marquês de Pombal, até... ao do professor José Meco, também presente na sala. Não poupou ainda encómios ao autor, «Não há ninguém que conheça tão bem o concelho de Oeiras, como o Dr. Jorge Miranda».

Joaquim Boiça falou depois sobre a relutância do autor a reunir estes textos em livro . «Revisitar temas não é fácil, mas o Jorge acabou por aderir», referiu. Já o escritor Júlio Conrado, começou por recordar os diversos momentos que viveu perto de Jorge Miranda, desde o primeiro trabalho, em meados da década de 50, até as diversas vezes que coincidiram na redacção do já extinto Jornal da Costa do Sol e, mais recentemente, na Fundação D. Luís I.

José d'Encarnação recordou que há alguns anos, nessa mesma data, Jorge Miranda havia sido agraciado com a Medalha de Ouro da Câmara Municipal de Oeiras (distinção idêntica recebeu também do municipio de Cascais). Afirmou ainda que a edição deste livro cumpriu um sonho dele próprio, que já editara dois livros com textos publicados no Jornal da Região, e por isso há muito que insistia para que o amigo fizesse o mesmo.

A esse propósito destacou a importância da imprensa regional na divulgação destes temas da história local e também o papel do poder local no apoio à sua divulgação e felicitou Jorge Miranda por «finalmente se ter decidido a arrumar os papéis e partilhar connosco o seu saber».

Jorge Miranda agradeceu, sobretudo à Espaço e Memória - Associação Cultural de Oeiras, que na pessoa de Joaquim Boiça, se encarregou da feitura do livro, assim como à designer, Inês Boiça que permitiu o seu óptimo aspecto gráfico e aproveitou a ocasião para dar alguns “recados” à vereadora Marlene Rodrigues, recordando que há diversos investigadores no concelho de Oeiras, cujo trabalho merece e necessita ficar igualmente registado em livro.

Uma sessão de autógrafos coroou esta homenagem que terminou com um Carcavelos de Honra.

 

 

 

Mais imagens:

 https://www.facebook.com/Cyberjornal/photos/ms.c.eJxFzdsNADEIA8GOTpg3~;TcWHRHkd7SyoarMZm4uyuofBrI8LGohWIgKPBD0Q9Yr8hYY8Au0EOhR14XsW36ABsEBKFsemQ~-~-.bps.a.1444225522300917.1073742088.171996492857166/1444225565634246/?type=3&theater

 

 

 

cyberjornal, 16 de maio 2017

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!