Caetobriga. O sítio arqueológico da Casa dos Mosaicos

caetrobigaPor: Guilherme Cardoso

Decorreu na sexta-feira, dia 11 de Maio, na Biblioteca Municipal de Setúbal, o lançamento do volume 17, da revista Setúbal Arqueológica, do Maeds (Museu de Arqueologia e Etnologia do Distrito de Setúbal.

Perante uma plateia de sadinos interessados pelas produções culturais sobre a sua terra e de alguns arqueólogos da região de Lisboa, Setúbal e Alentejo, a Doutora Joaquina Soares deu as boas vindas aos presentes.

caetrobiga18caetrobiga2018Tomou de seguida a palavra o Presidente do Conselho Directivo da Associação de Municípios da Região de Setúbal, Dr. Rui Garcia, que reconheceu o interesse do trabalho desenvolvido pelo pessoal do MAEDS, que embora sinta as dificuldades ao nível financeiro, com que lutam os municípios da região sadina, tem sabido desenvolver um importante trabalho cultural.

Rui Garcia agradeceu ainda a todos os autores que tornaram possível a elaboração da revista e à Câmara Municipal de Setúbal pela cedência do auditório da Biblioteca Municipal.

caetrobiga018O Dr. Carlos Tavares da Silva agradeceu também a todos os inúmeros colaboradores que tornaram possível a escavação da Casa dos Mosaicos e aos autores dos artigos que ilustram o livro. Fez uma retrospectiva do que foi o percurso da investigação que a equipa do MAEDS tem vindo a desenvolver desde 1969, em especial na cidade de Setúbal, e que levou à descoberta de diversos sítios arqueológicos. Achados que acabaram por confirmar a importância do local desde a Idade do Ferro, quando a zona ribeirinha era um sapal, até à fundação do município romano de Caetobriga, tal como as suas vivências, a época visigótica e, por fim, os vestígios da Idade Média Islâmica.

A apresentação do livro foi feita pelo Prof. Doutor João Luís Cardoso, um pré-historiador de renome internacional, que se tem destacado pela historiografia da Arqueologia Portuguesa e que, mais uma vez, desenvolveu o tema, neste caso a questão da localização da cidade romana de Caetobriga que tantos rios de tinta gastou durante décadas antes dos trabalhos realizados por Carlos Tavares da Silva e Joaquina Soares. Trabalhos que acabaram por tirar todas as dúvidas que pudessem existir, através de uma excelente pesquisa cientifica que souberam desenvolver durante cerca de meio século.

A revista foi editada em papel, mas quem a quiser consultar tem acesso via internet através da versão digital que pode ser consultada em http://maeds.amrs.pt/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

cyberjornal, 12 Maio 2018

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!