Centenário da morte de António Fragoso

antonio fragosoPara assinalar o centenário da morte de António Fragoso, a Associação António Fragoso, presidida pelo sobrinho do compositor, Eduardo Fragoso, vai realizar um vasto programa de iniciativas, entre 21 outubro de 2017 e 14 de outubro de 2018.

70 concertos, em Portugal e no estrangeiro, palestras, colóquios, exposições, gravação de CD’s com a integral de toda a sua obra, publicação dos seus dois livros inéditos e de uma nova biografia, etc., vão marcar as comemorações. 

O programa completo das celebrações que pretendem dar a conhecer melhor o jovem pianista e compositor. foi apresentado dia 11 em Conferência de Imprensa que decorreu na  Sala de São Pedro da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra .

João Gabriel Silva, reitor da UC, José Augusto Bernardes, diretor da BGUC, Eduardo Fragoso e Maria Isabel Fragoso, presidente e vice-presidente da Associação António Fragoso, respetivamente, foram alguns dos presentes nesta apresentação.

Recorda-se que António Fragoso morreu a 13 de outubro de 1918, na Pocariça, concelho de Cantanhede, quando contava apenas 21 anos de idade. Apesar da morte prematura, o seu génio como compositor está bem patente na obra que nos deixou, a qual tem tido impacto por esse mundo fora, onde se estuda a sua música e a sua vida e onde se interpretam cada vez mais as suas obras.

O espólio de António Fragoso encontra-se, desde maio de 2014, na Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra. Este acervo é muito variado. Para além das suas obras musicais, encontram-se também fotografias do compositor, correspondência pessoal e outros escritos sobre os mais diversos assuntos, que incluem temas relacionados com música, guerra, filosofia e costumes mundanos da sociedade em que viveu.

UC/cyberjornal, 12 outubro 2017

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!