Joaquim Baraona deixa Cascais mais pobre

Barahona1Pepita Tristão

Joaquim Baraona (23 Setembro 1930/30 Maio 1918) morreu esta noite, deixando mais pobre o mundo cultural e empresarial de Cascais.

Empresário de sucesso em Portugal e no Brasil, jornalista e escritor, Joaquim António Pereira Baraona nasceu em Ourique, habitando em Cascais há largas décadas, onde deixou obra notória não só nas áreas já mencionadas, como na beneficência e associativismo.

O velório tem lugar na Igreja das Fontaínhas, a partir das 15 horas de amanhã. dia 31. No dia 1 de Junho a celebração de uma missa de corpo presente, às 13 horas, precede a saída para o crematório de Alcabideche.

BaraonaRotaryNo campo do jornalismo, foi fundador e director do Jornal (depois revista) Tribuna Regional; director do Jornal A Nossa Terra (Cascais) e chefe de redacção do Jornal Notícia. Foi administrador dos jornais O Crime e O Diabo. Deixou ainda centenas de artigos de opinião e editoriais publicados em importantes órgãos de imprensa portugueses e brasileiros.

No Brasil, onde se refugiou após o 25 de Abril de 1974, radicou-se no Estado do Espírito Santo, habitando em Vitória, juntamente com a família, cerca de uma década. Foi vice cônsul no Estado do Espírito Santo, e nessa qualidade, envidou todas as deligências para germinar a cidade de Vitória com a sua amada vila de Cascais..

Barahonalivros2cy

Ao longo da vida fundou, dirigiu e esteve ligado às mais diversas colectividades e associações, entre as quais: a Academia de Letras e Artes; Sociedade Portuguesa de Autores; Sociedade de Geografia de Lisboa; Sociedade Histórica da Independência de Portugal; Real Associação de Lisboa e Grémio Literário, em Portugal e ainda,a Academia Espirito-Santense de Letras e Instituto Histórico Geográfico do Estado do Espírito Santo, no Brasil.

Deixou diversas obras, entre as quais, a mais marcante, foi a Antologia em dois volumes “Personalidades da Costa do Estoril”. Em 2001 editou também a sua autobiografia, "A Montanha". A última das  obras editadas foi um livro intitulado «Rotary Clube de Cascais-Estoril – Meio Século ao Serviço de Cascais, da Comunidade e do Rotary Internacional» que foi apresentada há dias, como o cyberjornal oportunamente noticiou (1).

À família enlutada, viúva e cinco filhos, apresentamos as mais sentidas condolências. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(1) http://www.cyberjornal.net/cultura/cultura/literatura/a-actividade-rotaria-em-cascais-foi-consignada-em-livro

 

 

cyberjornal, 30 Maio 2018

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!