A história do Compasso ou o compasso da História ( 3 ) - O Judaismo e a Maçonaria

000judaisPor: H. D.

 

Os princípios éticos maçónicos foram inspirados pelo judaísmo e pelo Antigo Testamento. Os ritos e símbolos da maçonaria e outras sociedades secretas recordam: A reconstrução do Templo de Salomão, a estrela de David, o selo de Salomão, igualmente os nomes dos diferentes graus, como por exemplo: cavalheiro Kadosh , em hebraico significa santo), Príncipe de Jerusalém, Príncipe do Líbano, Cavalheiro da Serpente de Airain , entre muitos. A luz é um importante símbolo tanto no judaísmo como na maçonaria.

Um dos grandes feriados judaicos é o Chanukah ou Hanukkah, que significa o Festival das Luzes, que comemora a vitória do povo de Israel sobre aqueles que tinham feito da prática da religião um crime punível pela morte perto do ano 165 a. E. V. ( antes da Era Vulgar). A Luz é um dos conceitos e símbolo na maçonaria, pois representa , para os maçons de linha inglesa o espírito divino, a liberdade religiosa, enquanto para os maçons de linha francesa a ilustração, o esclarecimento, o que esclarece o espírito, a claridade intelectual. Em comum a todos eles , há as Três Luzes . Outro símbolo comum é o Templo de Salomão. Figura como uma parte central
na religião judaica, por dois bons motivos ; por ser o rei Salomão uma das maiores figuras de Israel, assim como o Templo representa o ponto mais alto da religião judaica. A maçonaria, juntou á figura de Salomão, a construção do Templo, pois os maçons são, simbólicamente, primeiro que tudo, construtores, pedreiros, geómetras e arquitectos. Os seus rituais estão cheios de lendas sobre a construção do Templo de Salomão. Outro aspecto comum, são os esforços positivos na maçonaria e no judaísmo para encorajar o aprendizado. A cultura judaica tem uma larga tradição de impulsionar o maior número de judeus a desenvolver o conhecimento nas artes, na literatura, na ciência, na tecnologia, e nas profissões em geral. Durante séculos, os judeus têm-se destacado nos diversos campos do conhecimento humano e o seu empenho em melhorar suas escolas e seus centros de ensino demonstram cabalmente isto. Um bom exemplo são as famosas escolas talmúdicas - as yeshivas , que vem do verbo lashevet, ou seja sentar-se. Do mesmo modo para aprender é necessário sentar-se nos bancos escolares. Assim, também, na maçonaria, nota-se uma preocupação constante, cada vez maior, com o desenvolvimento intelectual dos maçons , no fundo, não só como um meio de melhorar a sua escola de fraternidade e civismo como também para perpetuar os seus ideais e permanecer como uma das mais ricas tradições do mundo moderno . No início de 1934, logo após a ascensão de Adolf Hitler ao poder, ficou bem claro que a maçonaria alemã corria o risco de desaparecer. Segundo as estimativas do Museu Alemão da Maçonaria em Bayreuth, esta literatura constituía o núcleo da investigação maçônica. Continha uma biblioteca que crescia de forma exponencial. Em 1930, na Alemanha, a colecção maçónica situar-se-ia nos 200.000 livros.  Foram todos queimados , assim como outros milhares delivros .Os Nazis saquearam, a Grande Loja da Holanda e a Grande Loja da Noruega. Ocorreu o mesmo na Bélgica e em França. Em todas elas aconteceu o mesmo . Os judeus eram vistos pelos nazis como uma "ameaça" pelo seu suposto poder económico e pelas ideias que pregavam, como o liberalismo democrático. A Maçonaria ,liberal e democrática, que pregava a fraternidade entre os homens, assustava aos déspotas e fanáticos religiosos e políticos de todas as correntes. A 10 de dezembro de 1934 , A Grande Loja Simbólica da Alemanha, dissolvida por Hitler, suspende seus trabalhos na Alemanha e prossegue-os em Jerusalém e Sarrebrucken . A 8 de Agosto de 1935 - Adolf Hitler decreta a dissolução da Maçonaria na Alemanha. Os que conseguiram escapar refugiam – se na Grande Loja de Hamburgo , que por sua vez recebem os irmãos da Grande Loja de Chile onde continuam o seu trabalho maçónico , enquanto os outros Templos maçónicos são saqueados, e muitos maçons alemães são presos e assassinados. A 1 de Janeiro de 1938 - O partido nacional socialista de Hitler lança um manifesto contra à maçonaria . O ódio de Hitler á maçonaria pode ter origem no facto que deu início à Primeira Grande Guerra : O assassino do Arquiduque Francisco Ferdinando da Áustria em Sarajevo no ano de 1914, teria sido um maçom da Bavária. Preso por combater o governo da época, em 1920, Hitler escreveu seu famoso livro “Mein Kampf” (Minha Luta) onde afirmava que os maçons, estavam corrompidos e manipulados pelos judeus e seus objetivos, pois estes se utilizavam de seus fios invisíveis para puxar as camadas superiores da sociedade para os seus desígnios, referindo-se à Maçonaria da seguinte forma: "A paralisia pacifista geral do instinto nacional de autopreservação começada pela Maçonaria é transmitida então às massas da sociedade em geral pela imprensa.

Artigos relacionados:  http://www.cyberjornal.net/cultura/cultura/varios-cultura/a-historia-do-compasso-ou-o-compasso-da-historia-2

 

http://www.cyberjornal.net/cultura/cultura/varios-cultura/a-historia-do-compasso-ou-o-compasso-da-historia

 

 

cyberjornal, 14 Dezembro 2016

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!