A história do Compasso ou o compasso da História ( 6 ) Maçonaria e a Ordem Rosa Cruz

rosacruzPor: H.D.

 

Na Maçonaria e na Ordem Rosacruz ou a antiga e Mística ordem Rosae Crucis , conhecida como AMORC , existem semelhanças e diferenças. Para melhor compreensão das mesmas , vamos tecer algumas considerações sobre essa Ordem.

Rosacruz denomina uma fraternidade filosófica, que, de acordo com a tradição mais conhecida , foi fundada por Christian Rosenkreuz e representava uma síntese do ocultismo imperante na Idade Média. Já Harvey Spencer Lewis sustenta que Rosenkreuz foi um renovador, defendendo que a instituição remontaria ao antigo Egipto, do faraó Amenophis IV.

Os rosacucianos, aceitam essa ideia, embora , na realidade, essa fraternidade nasceu no período medieval, e apresenta , ao nivel dos rituais e misticismo , tradições das antigas civilizações, como acontece na maçonaria.

Há maçons que querem fazer crer que a Ordem é muito antiga e já existia no Antigo Egipto e na Pérsia, facto que não é verdade . ambas as Ordens são um sincretismo de diversas correntes filosóficas e religiosas: o hermetismo egípcio, o cabalismo judaico, o gnosticismo cristão, a alquimia entre tantas outras .

A primeira menção histórica da ordem data de 1614, quando surgiu o famoso documento intitulado “Fama Fraternitatis”, nele onde são contadas as viagens do alemão Rosenkreuz pela Arábia, Egipto e Marrocos, locais onde teria adquirido sua sabedoria secreta, que só seria revelada aos iniciados.

Harvey Spencer Lewis, reactivou a AMORC , na América do Norte, no início do século XX, embora já teria existido anteriormente. Na mesma altura a Ordem era activa em alguns países europeus , como França e a Alemanha, Harvey Spencer Lewis antes de reintroduzir a AMORC para a América, estudou durante mais de 10 anos suas raízes, o que mais tarde permitiu unir todas as ordens no mundo, cuja essencia fosse semelhante . Introduziu o estudo à distância e isso permitiu a rápida sua expansão ,e em 1915 ele tornou-se o Ser supremo da Organização , denominado 1º Imperador , para a América do Norte.

A sua A unificação com a as demais ordens no mundo, aconteceu nos anos 30, tornando- o, no primeiro imperador mundial. O teólogo Johann Valentin Andréa, neto do teólogo luterano Jacob Andréa, divulgou o rosacurcianismo.

Andréa, que nasceu em Herremberg, no Werttemberg, em 1581, depois de viajar pelo mundo, voltou à Alemanha, onde se tornou pregador da corte e, mais tarde , abade. A sua principal importancia, foi o papel que teve na sociedade alemã, que no princípio do século XVII, lutava por uma renovação da vida, com uma nova insuflação espiritual. Existe ligação entre a Maçonaria e os rosacruzes e essa ligação começou já na Idade Média. No fim do período medieval e inicio da Idade Moderna, com inicio da decadencia das corporações operativas e englobadas sob a forma de maçonaria operativo , estas começaram, paulatinamente, a aceitar elementos espéculativos e estranhos à arte de construir, admitiram, filósofos, hermetistas e alquimistas, cuja linguagem simbólica era semelhante à dos franco-maçons. Como a Ordem Rosacruz era baseada na alquimia , como já vimos, foi natural a ligação do rosacrucianismo e da alquimia com a Maçonaria. Durante o governo de José II, imperador da Alemanha de 1765 a 1790, e co-regente dos domínios hereditários da Casa d’Áustria, houve um grande desenvolvimento da Ordem Rosacruz , chegou até a Corte , de tal maneira que o imperador proibiu todas as sociedades secretas, abrindo uma excepção aos maçons , o que levou muitos rosacruzes procurassem as lojas. Ambas as Ordens são medievais, se considerarmos o maior incremento da Maçonaria de Ofício durante a Idade Média e o início de sua transformação em Maçonaria dos Aceitos , ou também designada de “Especulativa”.

A maçonaria é uma ordem totalmente templária, ou seja, os ensinamentos só ocorrem dentro das lojas. Já a Antiga e Mística Ordem Rosacruz dá ao estudante o livre arbítrio de estudar em casa ou em um templo Rosacruz. O estudo em casa é acompanhado à distância, e assim como a maçonaria, é composto de vários graus, que vão do neófito ao 12º grau, conhecido como grau do ARTESÃO.

O estudo no templo, que não é obrigatório, proporciona ao estudante além do contacto social com os demais estudantes , a possibilidade de participar de ter experiencias místicas em grupo, e poder discutir com os presentes os resultados, e por último, a reunião templária fortalece a egrégora da organização, o que também ocorre na maçonaria.

A partir da metade do século XVIII e, principalmente, depois de José II, com a maciça entrada dos rosacruzes nas lojas maçónicas, tornou –se difícil, de uma maneira geral, separar Maçonaria e roscrucianismo, tendo, a instituição maçónica, adoptado nos vários ritos, o símbolo máximo dos rosacruzes: ao 18º grau do Rito Escocês Antigo e Aceito, ao 7º grau do Rito Moderno, ao 12º grau do Rito Adoniramita, entre outros . O Cavaleiro Rosa Cruz, é, como o próprio nome indica é , um grau cavaleiresco e está consagrado no 18º Grau do Rito Escocês Antigo e Aceito. A sua origem hermética e a sua integração na Maçonaria, durante a Segunda metade do século XVIII, leva a marca dos ritualistas alquímicos, que escreveram n aaltura os rituais dos Altos Graus. O hermetismo atribuído ao Grau 18 é visivel no símbolo do grau, tendo este uma Rosa sobreposta à Cruz, representação do sacrifício e a Rosa o segredo da imortalidade, que , por sua vez simboliza o esoterismo cristão, com a ressurreição de Jesus Cristo . A Maçonaria também assimilou , o simbolismo dos rosacruzes, herdeiros dos alquimistas, modificando, o seu significado a termos mais reais. Assim, o segredo da imortalidade da alma e do espírito humano, enquanto é aceite o princípio da regeneração só pode ocorrer através do aperfeiçoamento contínuo do homem e através da constante investigação da Verdade. O misticismo dos símbolos rosacruzes, foi mantido, embora a Maçonaria não seja uma ordem mística, usa –a para divulgar, a sua mensagem de reformadora social, o misticismo de diversas civilizações e de correntes filosóficas, ocultistas e metafísicas. Há vários símbolos comuns às duas ordens , a começar pela disposição no templo ,dos mestres com cargos, lembrando os pontos cardeais, e a passagem do Sol pela Terra, do Oriente ao Ocidente. Cada ponto cardeal é ocupado por um membro. A figura do venerável mestre na maçonaria, ocupa a sua posição no Oriente, encontra similar na Ordem Rosacruz, na figura de um mestre instalado, que ocupa seu lugar no leste. Também são semelhantes , a linha imaginária que vai do altar dos juramentos ao Painel do Grau, e a caminhada somente no sentido horário. Em ambos os casos o templo é pintado na cor azul celeste, e os seus membros entram pelo Ocidente. No altar dos juramentos podemos encontrar coincidencias no Shekinah na ordem Rosa Cruz, nesta ultima não é usada a bíblia ou outro livro, mas sim 3 velas dispostas de forma triangular, que são acesas no início do ritual e apagadas ao final deste, simbolizando a luz, a Vida e o Amor. Outra semelhança é o uso de avental por todos os membros iniciados ao entrarem no templo, enquanto que os oficiais, ou mestres com cargo, usam paramentos especiais, cada qual simbolizando o cargo que ocupa no ritual. O avental usado pelos membros rosa cruz não diferencia o grau de estudo. Na maçonaria já os aventais fazem essa diferenciação. Os iniciantes na Ordem Rosa Cruz recebem seus estudos em um templo separado, anexo ao templo principal, enquanto os aprendizes maçons recebem sua instruções juntamente com os demais irmãos e, por fim, o aspecto da loja maçónica lembra as construções greco-romanos, enquanto que a Ordem Rosa Cruz , lembra as construções egípcias.

cyberjornal, 9, Fevereiro 2017

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!