Eclipse Total do Sol – Dos EUA para o Atlântico

 RaulMendesagost017Por: Raul Mendes

 

Hoje é dia de eclipse total do Sol!!!

A fase de totalidade será só visível nos EUA e Oceano Atlântico, no entanto, vários outros países, incluindo o nosso, terão um pequeno vislumbre do eclipse, com um eclipse parcial do Sol.

Mas o que é um eclipse?

 

 

 

 

 

 

 

Um eclipse implica sempre três objectos celestes. Um primeiro, onde está o observador, um segundo que é o objecto observado e o terceiro, que será o corpo que transita ocultando o objecto observado. Podemos assim ter vários “tipos” de eclipses. Por exemplo: quando a Lua oculta uma estrela; Júpiter oculta as suas luas, ou elas transitam em frente dele; qualquer planeta do Sistema Solar que oculte uma estrela; E a maioria dos exoplanetas, foram descobertos devido aos trânsitos(eclipses) que esses planetas fazem entre a sua estrela mãe e nós, interferindo assim, com o fluxo de fotões que nos chega das mesmas.
No caso do eclipse Solar, é a nossa Lua que, na sua órbita, em torno da Terra, passa em frente ao Sol ocultando-o. Para isso acontecer, a Lua terá obrigatoriamente que estar na sua fase de Lua Nova.

 RaulMendesagost17

 

NOTA: Num Eclipse da Lua, é a Terra que é o corpo em trânsito, ocultando a luz do Sol que incide sobre a nossa Lua em fase Lua Cheia. Da Terra vemos a sombra do nosso planeta projectada na Lua.

Então, porque não há eclipses em todas as Luas Novas e todas as Luas Cheias?
Ora, como se pode ver na figura, o plano da órbita da Lua em torno da Terra, não é coincidente com o plano da órbita da Terra à volta do Sol. Isso significa que na maior parte das Luas Novas, a Lua passa por baixo, ou por cima do disco Solar, não o ocultando. Da mesma forma, na maior parte das Luas Cheias, a sombra da Terra é projectada para o espaço, algo mais abaixo, ou mais acima do disco Lunar, não permitindo um eclipse.
No entanto há duas alturas no ano em que as órbitas estão favoráveis a que hajam eclipses, portanto normalmente, todos os anos temos dois eclipses da Lua e dois eclipses Solares. Um Lunar (ou Solar) e, umas semanas depois outro Solar (ou Lunar) numa primeira altura. Outro par de eclipses acontecerá na segunda altura favorável. Daí se costumar dizer que os eclipses andam aos pares. : )

Em Portugal o Eclipse de hoje será um modesto eclipse parcial do Sol, com pouca área oculta e, mesmo assim, na maior parte das localidades o ponto máximo só é atingido já depois do ocaso. Segue-se uma lista de algumas localidades nacionais e as horas dos eventos.

 

 

 

Porto

Inicio

Máximo

Fim

Pôr do Sol

Área ocultada (%)

 

19:44

20:22

-

20:24

15,70%

Coimbra

Inicio

Máximo

Fim

Pôr do Sol

Área ocultada (%)

 

19:45

20:22

-

20:22

16,93%

Lisboa

Inicio

Máximo

Fim

Pôr do Sol

Área ocultada (%)

 

19:45

20:22

-

20:23

19,18%

Faro

Inicio

Máximo

Fim

Pôr do Sol

Área ocultada (%)

 

19:47

20:14

-

20:15

17,86%

Funchal

Inicio

Máximo

Fim

Pôr do Sol

Área ocultada (%)

 

19:48

20:35

-

20:45

33,35%

Ponta Delgada

Inicio

Máximo

Fim

Pôr do Sol

Área ocultada (%)

 

18:40

19:28

20:14

 

28,13%

Angra do Heroísmo

Inicio

Máximo

Fim

Pôr do Sol

Área ocultada (%)

 

18:38

19:27

20:12

 

27,42%

Lajes do Pico

Inicio

Máximo

Fim

Pôr do Sol

Área ocultada (%)

 

18:37

19:27

20:13

 

28,39%


Ao longo dos tempos os eclipses sempre nos deram muito mais do que um espectáculo bonito para se ver no céu, ou de temor, em culturas mais supersticiosas.
Deixo aqui dois exemplos:
Foi graças aos eclipses Lunares que várias civilizações antigas, entre as quais a Grega, concluíram que a Terra não seria plana mas sim esférica.
E foi devido ao eclipse do Sol, observado na Ilha do Principe, em 1919, que Arthur Stanley Eddington, e a sua equipa, obtiveram as primeiras provas que um corpo de grande massa (neste caso o Sol) distorce o Espaço-Tempo, confirmando assim as previsões da Teoria da Relatividade de Einstein, tendo esses dados contribuído para a aceitação da teoria.Para terminar, e para que todos tenhamos os eclipses recheados de boas memórias, nunca é demais lembrar que, mesmo ao pôr do Sol, é altamente prejudicial olhar directamente para a nossa estrela. Instrumentação óptica (Binóculos, Telescópios, etc) SÓ com filtros adequados. Máscaras de soldar, CDs, e outros objectos encontrados em casa não bloqueiam a radiação solar o suficiente para uma observação segura.
Se tiverem instrumentação, ou óculos de eclipse de eventos passados, tudo bem. Caso contrário sugiro que se dirijam a um dos vários núcleos espalhados pelo país que disponibilizam uma maneira segura de observar o evento.

A todos, um bom eclipse!

cyberjornal, 21 Agosto 2017

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!