Textos entre o esquadro e o compasso - Pentagrama

maconpentagramaPor: HD (*)

A imagem do Pentagrama ou Estrela de Cinco Pontas é um dos símbolos esotéricos mais conhecidos e reproduzidos no imaginário místico e profano. Reconhecido como símbolo de proteção em diversos rituais, é também a representação da Vontade e do Ser Humano em Perfeição sobre a Natureza.

Goethe, no seu livro Fausto, usa o Pentagrama de Agrippa, a que chama de “pé do feiticeiro” como instrumento mágico desenhado no chão do laboratório como um poderoso emblema para evitar que as forças das trevas e do mal invadam o ambiente ou que as mantêm presas no espaço mágico, dependendo da direção do vértice para a porta de entrada no recinto. Esta visão representa um imaginário simplista onde o símbolo com o vértice para cima representa “o bem” e com o vértice para baixo, “o mal”, deixando de lado uma interpretação mais ampla e complexa a que o símbolo se permite.

 

 

O aspecto imagístico e instrumental do Pentagrama em todas as cerimónias é muito importante, pois, segundo Eliphas Levi, representa o domínio ou a desordem, dependendo do seu uso , do Espírito sobre os Elementos, “brilhando como uma lanterna na escuridão para as forças astrais, atraindo ou afastando energias positivas ou negativas”, e por isso a sua utilização deverá ser feita com consciencia de causa e grande cuidado e responsabilidade nas cerimónias esotéricas. Todo símbolo tem seu sentido e referência no poder de síntese que representa e que transcende o espaço do racional que o “interpreta”.

Do ponto de vista esotérico, é uma parte muito maior do que a soma e o todo e é a manifestação de um saber e fazer Universal , que não se esgota e que não se pode esgotar. O Pentagrama tem seu poder e significado profundo, como todos os símbolos esotéricos, que vai além de seu caráter instrumental imagístico ou ritual , ao representar o Microcosmo , que afinal é como o Macrocosmo, para realizar o milagre de uma única coisa, segundo a tradição hermética : para o Maçom, a representação e o simbolismo do Pentagrama, está presente em diversos momentos, nos diversos rituais e nos Templos, mesmo que muitos maçons não percebam sua relação pertinente, presente na simbologia de muitos ritos, do Compasso e Esquadro, da disposição das Luzes e da própria circulação em Loja, por exemplo.

É de suma importância a interpretação Pitagórica do Pentagrama como símbolo de aprofundamento iniciático, directamente essencial aos estudos de aperfeiçoamento moral e espiritual do obreiro. A tradição hermética-pitagórica, salvo a ausência de documentos da própria escola, é baseada nas informações doxográficas e nos comentários dos diversos filósofos e historiadores da matemática sobre a tradição Pitagórica. Conta-se que Platão, séculos depois do fim da ordem, comprou à peso de ouro um manuscrito de Filolau de Crotona que divulgou os segredos da ordem. Lenda ou não, verdade ou não, a tradição Pitagórica, mística e matemática, influenciou toda a metafísica platónica, revendo-se na sua interpretação geométrica do universo. Os “segredos” iniciáticos da escola eram transmitidos por uma rígida disciplina e os seus estudos matemáticos faziam parte de uma ascese espiritual, lembrando a frase do pórtico da academia platônica: “não entre aqui quem não for geómetra”. Assim, Pitágoras e seus discípulos, passam a ser associados a uma tradição numerológica essencial para a senda iniciática e que é perpetuado nas simbologias, referencias e proporções dos templos maçónicos .

maconpentagrama1

O Pentagrama pode ser desenhado com uma única linha, representando a energia espiritual e mágica que desce desde o vértice superior e circula ao inferior esquerdo e daí ao direito, indo ao esquerdo e ao inferior direito e que novamente ascende o superior, num fluxo e refluxo energético contínuo e dinâmico. O seu símbolo é um elemento de meditação e reflexão sobre o verdadeiro local do Templo , onde é realizado a Obra do Caminho Real. É também pelo Pentagrama que se medem as proporções exactas do grande e único athanor necessárias à confecção da grande obra. O alambique mais perfeito que possa elaborar a quintessência é conforme esta figura e a própria quintessência é figurada pelo signo do Pentagrama. Segundo Levi. O pentagrama é uma forma geométrica, utilizada por muitos povos, religiões, associações, com os mais diversos significados, não sendo um símbolo puramente maçónico.

Na magia, de acordo com a sua orientação, o pentagrama pode acompanhar operações de magia branca ou negra .

Quando colocada com sua ponta isolada para cima, ela significa teurgia e conclama as influências celestiais, que, por seu poder mágico, virão em apoio ao invocador; com a ponta isolada voltada para baixo, ela significa goécia e, de acordo com as intenções do mago, atrai maléficas influências astrais. Dessa segunda forma, algumas religiões intituladas satânicas utilizam o pentagrama em seus rituais. Aparece dentro desse pentagrama invertido a figura de um bode, representação do mal, o Bode de Mendes. Isso tem servido a opositores da Maçonaria como fundamento à uma prova, falsa, pois a nossa augusta Ordem nunca serviria e adoraria o mal. A real significação no simbologismo maçónico é o próprio homem, inserido dentro do pentagrama, com cabeça e membros, e assim é também chamada de Estrela Hominal. As pernas ocultam o membro viril, revelado na Estrela de David, de seis pontas. Significa ainda a Paz e o Amor Fraterno. Pode também significar os cinco sentidos, um atribuído a cada uma de suas pontas. Cabe acrescentar que esse símbolo não era conhecido dos primeiros maçons e actualmente somente alguns ritos a utilizam. O Rito York, por exemplo, adopta sómente a estrela de seis pontas.O número cinco representa os elementos da natureza: a Terra, a Água, o Ar, o Fogo e a Semente ou Germe. Penta , em grego, significa o número cinco e serve de prefixo para várias palavras, como exemplo, Pentágono Pentagrama e Pentateuco. É um símbolo muito mais antigo do que se pode pensar. No ocidente alguns afirmam que este símbolo nasceu com Salomão, porém, ele já era usado no Antigo Egipto onde há registros em tumbas e sarcófagos. O pentagrama sempre esteve associado com o mistério e a magia. Ele é a forma mais simples de estrela, que deve ser traçada com uma única linha, sendo consequentemente chamado de “Laço Infinito”. O Pentagrama Esotérico é um símbolo e um instrumento de meditação e de trabalho interior. A estrela de 5 pontas devidamente paramentada com os símbolos sagrados é chamada de Pentagrama Esotérico , Pentalfa Gnóstica ou Estrela Flamígera. No Pentagrama Esotérico acha-se resumida toda a Ciência da Gnosis.O Pentagrama expressa o domínio do Espírito sobre os Elementos da Natureza. O signo do Pentagrama chama-se também Signo do Microcosmo e representa o que os rabinos cabalistas do Livro do Zohar chamam Microprosopio. O Pentagrama sempre foi objecto de vivo interesse e estudo. Utilizado pelos egípcios, ele foi também considerado pelos druidas sob a forma de uma estrela regular de cinco pontas chamada “pé dos druidas”. Para Pitágoras  , o Pentagrama era o símbolo do himeneu celeste: a fusão da alma com o Espírito. O Pentagrama era tão apreciado entre os pitagóricos , que para eles participarem das reuniões secretas era necessário portar um Pentagrama em sua mão direita. Entre os primeiros cristãos, o pentagrama representava Cristo, outra designação do Alfa e Omega, do começo e do fim. Os alquimistas medievais recorriam à estrela de 5 pontas como sinal da Quinta Essentia, o quinto elemento, o éter-fogo ou, ainda, o Espírito Santo. É o sinal do Verbum Dimissum. Giordano Bruno considerava o número 5 como o número da Alma por ser composto , como ele o é de igual e desigual, de par e ímpar. O número 5 Corresponde à idade do Companheiro. Representa o ser na plenitude da sua realização. É um número ímpar, soma dos primeiros números par e ímpar. A sua figura geométrica corresponde a uma estrela. É a soma de 3+2, síntese do 3 ou princípio masculino e do 2 ou princípio feminino, constituindo a natureza completa do ser andrógino. Mas também é a soma do 4+1, que corresponde à matéria transposta da centelha do espírito . O Pentagrama é associado ao grau de Mestre Eleito da Maçonaria, no rito Escocês. No Pentagrama Esotérico estão inscritas as proporções exactas do Athanor, essencial à realização da Grande Obra. O símbolo do Pentagrama Esotérico, é bem conhecido em toda a tradição ocultista, sobretudo por causa do famoso livro de Eliphas Levi , Dogma e Ritual de Alta Magia. Mas não pensemos que foi o Mestre Levi quem criou, “inventou” este símbolo mágico. Por muitos anos o Pentagrama Esotérico foi conhecido como o “Pentagrama de Goethe”, pois este o mencionou na sua obra Fausto. Este simbolo chegou a nossos dias, graças aos 3 discípulos do Abade Trithemo, o verdadeiro criador do Pentagrama Esotérico. Esses discípulos foram: Paracelso, Cornélio Agrippa e o lendário Doutor Fausto de Praga. Este Pentagrama Esotérico passou a ser mundialmente conhecido depois da publicação do Dogma e Ritual de Alta Magia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(*) Retomamos hoje os artigos de opinião produzidos pelo nosso colabordor, especialista em Filosofia das Religiões, HD)

 

cberjornal, 17 março 2019

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!