Morreu Júlio Pomar

julioPomarMorreu esta segunda-feira, aos 92 anos, no Hospital da Luz, em Lisboa, o artista plástico Júlio Pomar.

Com uma longa carreira, Pomar legou-nos uma vasta obra  marcada por diversos estilos, que vão do neorrealismo ao expressionismo e ao abstracionismo e inclui para além da pintura, desenho, gravura, escultura, tapeçaria, azulejaria, murais  e ainda, trabalhos de cenografia.

Muito inspirado pelos escritores, ele próprio escreveu duas coletâneas de poemas, "Alguns Eventos" (1992) e "TRATAdoDITOeFEITO" (2003), ambos editados pela Dom Quixote.

 

Júlio Artur da Silva Pomar nasceu a 19 de Janeiro de 1926, em Lisboa. Estudou na Escola António Arroio, e nas Faculdades de Belas-Artes de Lisboa e do Porto mas afirmou por diversas vezes que aprendera mais com Velázquez do que em qualquer das escolas que frequentou.

Desde criança que Júlio Pomar se apaixonou pelo desenho e pintura, contando mesmo que foi aos 16 anos que vendeu a sua primeira obra, Os Saltimbancos, então exposta num atelier na Praça das Flores. O comprador foi, nem mais nem menos, que almada Negreiros!

Jovem rebelde, e de convicções fortes, foi um declarado opositor ao regime salazarista, para além de membro da comissão central do Movimento de Unidade Democrática (MUD) Juvenil, o que levou, com apenas 20 anos, à prisão de Caxias onde esteve preso quatro meses. Ali teve como companheiro de cela, Mário Soares, de quem se tornou amigo e que retratou, na prisão.

Décadas depois, foi convidado para fazer o retrato oficial do amigo que ainda hoje se pode apreciar em Belém, e que naquela época levantou grande polémica por não apresentar o formalismo com que os restantes presidentes portugueses foram pintados.

Em 2004 instituiu a Fundação Júlio Pomar e, em 2013, foi inaugurado o Atelier-Museu com o seu nome, na rua do Vale, em Lisboa, frente à casa onde viveu com a mulher, Teresa Martha, e tinha o seu atelier.

Do seu currículo constam exposições realizadas ao longo de décadas, por todo o mundo, de Lisboa a Paris, Nova Iorque ou Rio de Janeiro.

Foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito em 1989, com a Grande-Oficial da Ordem da Liberdade em 2004, e no mesmo ano foi ordenado Chevalier de L"Ordre des Arts et des Lettres, em França.

O corpo do artista ficará em câmara ardente, a partir de hoje, quarta-feira, no Teatro Thalia, em Lisboa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

cyberjornal, 23 Maio 2018

 

Joomla SEF URLs by Artio