Évora prepara estratégia de Adaptação às Alterações Climáticas

Evoraclimatica2015

Portugal é um dos países europeus mais vulneráveis às modificações decorrentes das alterações climáticas.

Desde a subida do nível do mar, que afetará os municípios do litoral, ao aumento da temperatura e aumento da frequência e intensidade de eventos meteorológicos extremos em todo o território, serão vários os impactes perante os quais será necessário uma adaptação a esta nova realidade climática.

Perante este facto, cada vez mais presente no nosso dia-a-dia, a Câmara Municipal de Évora decidiu integrar um conjunto de 26 municípios que lideram o projeto ClimAdaPT.Local.

O projeto ClimAdaPT.Local, envolvendo uma verba de 1,5 milhões de euros, tem como principal objetivo desenvolver Estratégias Municipais de Adaptação às Alterações Climáticas (EMAAC) em parceria com as respetivas autarquias e desenvolver um programa formativo sobre o tema aos técnicos municipais das autarquias parceiras.

Neste âmbito, teve lugar, esta quinta-feira à tarde, no Palácio D. Manuel, um workshop sobre a estratégia municipal para a adaptação às alterações climáticas, promovido pela autarquia eborense e que contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos Pinto de Sá, de Luísa Schmidt, socióloga investigadora principal do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, de Filipe Duarte Santos, especialista em ambiente, doutorado em Física Nuclear, entre outros técnicos, alguns dos quais da edilidade.

Esta sessão de trabalho visou capacitar o município para avaliar as vulnerabilidades locais e o respetivo potencial de adaptação face às alterações climáticas e aumentar a sua capacidade para incorporar a adaptação às alterações climáticas nos seus instrumentos de planeamento e intervenções.

Em termos globais, o projeto visa ainda criar uma Rede de Municípios de Adaptação Local às Alterações Climáticas em Portugal que constitua um fórum permanente de reflexão e dinamização das políticas públicas locais no domínio da adaptação. Pretende-se também promover a integração da adaptação às alterações climáticas nas práticas correntes de planeamento e gestão municipal, bem como capacitar as restantes autarquias do país para introduzirem esta temática nas suas políticas de índole local.

Para além de Évora, o projeto ClimAdaPT. Local conta ainda com a participação das seguintes autarquias: Amarante, Barreiro, Braga, Bragança, Castelo de Vide, Castelo Branco, Coruche, Ferreira do Alentejo, Figueira da Foz, Funchal, Guimarães, Ílhavo, Leiria, Lisboa, Loulé, Montalegre, Odemira, Porto, Seia, São João da Pesqueira, Tomar, Tondela, Torres Vedras, Viana do Castelo, Vila Franca do Campo.

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!