Palmela: parque solar de 10 milhões

parquesolar1 (Arquivo) Está em construção, no concelho de Palmela, freguesia de Pinhal Novo, o futuro Parque Solar/ Fotovoltaico da Salgueirinha, dedicado à produção de energia a partir de fontes renováveis. Trata-se de um projeto cem por cento português, promovido pela empresa portuguesa Balanço Solar, Lda., com capital escocês, e trabalhos de construção a cargo da Efacec Renováveis, representando um investimento superior a dez milhões de euros. Prevê-se a ligação à rede e respetiva conclusão no final de maio.
 
Com uma potência instalada de 4 MW, este parque produzirá energia elétrica para injeção na rede nacional, estimando-se uma produção anual equivalente ao consumo médio de mais de duas mil famílias. Esta unidade constitui um passo importante no percurso definido pelo Município de Palmela que, desde o início, esteve fortemente envolvido na concretização deste investimento. A escolha do concelho de Palmela para a instalação do projeto esteve ligada à grande capacidade do território para produção de energia solar, com um potencial de produção de 7.200.000 kWh/ano, e à sua localização, que permite um excelente ponto de ligação à rede, fundamental para a elevada potência em jogo.
 
Além do contributo relevante para o ambiente, registam-se vantagens, também, para a economia, pela incorporação de empresas e recursos locais nos diversos trabalhos de instalação, operação e manutenção.
 
O Parque Solar/ Fotovoltaico da Salgueirinha enquadra-se na estratégia municipal de conceção, desenvolvimento e implementação de projetos ao nível da oferta e procura de energia, na captação de investimento para o território e no desempenho das suas competências, em matéria de promoção do uso racional dos recursos endógenos e renováveis. 
 
Empenhada, atualmente, na implementação do Plano de Ação para a Energia Sustentável de Palmela, em sequência da adesão ao Pacto de Autarcas - no âmbito do qual se assume o compromisso de ultrapassar os objetivos europeus de redução das emissões de dióxido de carbono até 2020 – a autarquia está apostada na adoção de fontes de energia renováveis.
 
 A produção de energia elétrica a partir da radiação solar não produz contaminantes, não emite dióxido de carbono ou outros gases e não necessita de combustíveis ou outros recursos, contribuindo significativamente para a redução da dependência energética de fontes exteriores, coincidindo as horas de maior produção com as horas de maior consumo. 
 
A produção anual prevista para o Parque da Salgueirinha, estimada em 7.154 MWh por ano, permitirá evitar a emissão de 3.500 toneladas de dióxido de carbono, anualmente. A central contará com 16.940 painéis solares, de 260 Wp cada, distribuídos por cerca de 7 hectares.
 
Além do envolvimento da autarquia e das empresas diretamente responsáveis pela instalação, exploração e gestão da central, estão envolvidas outras entidades, como o Ministério da Economia e a EDP, dada a envergadura do projeto e o seu contributo para a quota nacional de produção de energia a partir de fontes renováveis.
 
 
 
CMP/cyberjornal, 10 março 2014
 
 

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!