Exposições Junho 15

ArteMar15repr

(Reprod. foto CMC)

 

Exposições que podem ser visitadas durante o mês de Junho em: Amadora, Aveiro, Cascais, Elvas, Estoril, Estremoz, Lisboa, Montijo, Nazaré, Porto, Valença, Vila Franca de Xira, Vouzela,

 

 

 

 

 

 

Amadora

 

 

 

É inaugurada  dia 6 de Junho, às 17h00, a exposição coletiva de Escultura de Ar Livre da Amadora.
Esta mostra, que se irá manter até ao dia 1 de Abril de 2016 no espaço envolvente à Galeria Municipal Artur Bual, é mais uma aposta na promoção da cultura, trazendo-a para junto das pessoas, de forma a potenciar o espaço público como espaço mais agradável de vivenciar, mas também com o objetivo de possibilitar a fruição de obras por parte de muitos amadorenses que, por diversos motivos, não teriam a possibilidade de as admirar se tivessem que se deslocar a um espaço expositivo.

 

 

Aveiro

 

 

 

 

III – Exposição Internacional de Arte Contemporânea “A Poética do Visual”

 

 

O Museu da Cidade de Aveiro e a Galeria do Edifício Sede da Assembleia Municipal de Aveiro (Antiga Capitania) acolhem, a partir de 26 de junho, a exposição A Poética do Visual.

 

Trata-se de um projeto de curadoria artística de Madina Ziganshina, que conta com a participação de cerca de 100 artistas de diversas nacionalidades.

 

A Poética do Visual pretende representar a arte em que o visual é o texto e o texto é visual. Os artistas foram convidados a apresentar trabalhos criativos em que o elemento Poético, género maior da literatura nacional é central na sua leitura. Obras nas quais a poesia esteja visível, em que a poesia seja a mensagem e o desejo que subordina a escolha do tema e da técnica.

 

A curadora Madina Ziganshina, pintora, é uma artista da Tartária (Federação Russa) residente em Aveiro. Retratista, paisagista e essencialmente uma pintora realista, Madina tem currículo internacional, designadamente em países como Suécia, Alemanha e Holanda, países que visita regularmente para inaugurar as suas exposições.

 

A exposição A Poética do Visual estará patente até ao dia 26 de Julho.

 

 

 

 

IV – Esculturas de Francisco Santos no Museu Arte Nova

 

 

O Museu Arte Nova de Aveiro tem patente a exposição “Ofereço-te as minhas fábulas…”, do escultor Francisco Santos, com a presença do artista que dará as boas vindas e fará uma visita guiada a todos os presentes.

 

Na galeria das peças escultóricas, em vidro, encontram-se figuras mitológicas e as que homenageiam as mulheres, entre outras obras representativas do universo criativo do vitralista e pintor conimbricense. Uma exposição que promete constituir-se como uma encenação de espaços e volumes, de jogos de luz e de reflexos multicolores.

 

Francisco Santos é licenciado em pintura, na ESBAP.

 

Estuda vitrais e escultura em vidro na Oficina do Mestre Vahamona-Canadá e fusing e cerâmica com Mestre J. Santilli, em Itália. Este é mais um passo de uma longa caminhada traduzida em Exposições diversas, nomeadamente Canadá, França e Portugal. Paralelamente à atividade de escultor em vidro, Francisco Santos desenvolve, também, trabalhos em vitral e pintura. Executa obras para residências particulares no país e no estrangeiro. Salientem-se algumas: Igreja da Misericórdia de Penalva do Castelo; Fundação Bissaya Barreto, Tocha; CEDILE-Centro de Diagnóstico de Leiria; Escola Profissional Diogo de Azambuja, Montemo-o-Velho; Igreja da Gesteira, Soure; Igreja de Chãos, Tomar Igreja das Meãs, Igreja de Arazede.

 

As suas últimas exposições individuais foram: “Dispersões” - Figueira Shopping - Figueira da Foz, “A Malangatana” - Galeria Augusto Pereira - Montemor-o-Velho, “A Arte do Fogo” – Alcobaça, na Casa da Cultura – Nazaré, Projeto “Itinerâncias”: Casa dos Matarrachos/Mangualde – Galeria Osiris/Caldas da Rainha e “O Afinador de Silêncios” – Câmara Municipal de Lisboa.

 

Está representado no Museu do Vidro da Marinha Grande, no Museu Escolar de Marrazes – Leiria, na Associação Fernão Mendes Pinto, na Associação Diogo de Azambuja, na Fundação Bissaia Barreto, na Biblioteca Afonso Lopes Vieira, no Instituto Politécnico de Leiria, na Câmara Municipal de Mangualde e na Câmara Municipal de Lisboa.

 

Está representado em várias coleções no país e no estrangeiro, entre eles, Estados Unidos da América, Brasil, França, Itália, Alemanha, Canadá, Espanha.

 

A exposição no Museu da Cidade de Aveiro fica patente até ao dia 25 de Outubro.

 

 

 

 

Cascais

 

Passeio Marítimo

 

 

 

Está de volta ao Passeio Marítimo do Estoril a exposição ARTEMAR, na sua sétima edição a mostra que visa sensibilizar as pessoas para a salvaguarda dos valores ambientais e para a proteção do Oceano Atlântico, apresenta trabalhos de Baltazar Torres, Catarina Leitão, Igor Jesus, João Leonardo e Paulo Arraiano.  Inaugurada   dia 4 de Junho,  no Passeio Marítimo Cascais-Estoril.

 


 
Integrada na Blue Week (Semana Azul) a ARTEMAR vai ficar patente até ao dia 5 de Julho num espaço cujo pano de fundo é o próprio oceano. Reforça-se, assim, a chamada de atenção de quem habitualmente frequenta o Passeio Marítimo Cascais-Estoril, para a preservação do mar, um recurso que assume cada vez mais importância na economia local e global.
 
Integrando o calendário de iniciativas culturais da Câmara Municipal de Cascais/Fundação D. Luís I, no âmbito do Bairro dos Museus, a sétima edição da ARTEMAR é mais uma vez comissariada pela professora e crítica de arte Luísa Soares Oliveira que apresenta cinco obras de outros tantos autores, cuja intervenção artístico-cultural remete os visitantes para a preocupação com o oceano através de medidas e atitudes práticas. 
 

 

 

 

 

 

Fashion Icon Frida Kahlo no CascaiShopping

Fotografias originais dos vários momentos da vida da artista

estão em exposição, pela primeira vez, em Portugal

Frida Kahlo, uma das maiores artistas mundiais do Século XX que se destacou pela irreverência do seu estilo artístico e pelo contributo que trouxe ao conceito de Moda da época, é a protagonista de uma Exposição de Fotografias originais patente, pela primeira vez, a Portugal.

Intitulada “Fashion Icon Frida Kahlo”, a mostra reúne 44 fotografias originais, realizadas por fotógrafos internacionais, que são reflexo dos momentos que marcaram a pintura, a vida artística e a maneira de ser de Frida Kahlo.

A mostra pode ser vista no piso 1 do CascaiShopping, junto à Praça dos Papagaios.

 

 

Cidadela

 

Visitas Espetaculares: pintores e arquitetos nos palcos portugueses, no Palácio da Cidadela de Cascais.

Uma exposição que reúne trabalhos de consagrados artistas plásticos e arquitectos portugueses que, nos últimos 100 anos, criaram cenários, figurinos, adereços ou material de comunicação para espectáculos nos palcos portugueses. Exposição também retrospectiva das artes performativas que percorreram o País e fizeram notícia no século da República.

Nomes grandes como Abílio de Mattos e Silva, António Soares, Alice Rey Colaço, Paula Rego, José Tagarro, Raul Lino e João Vieira, entre muitos outros, estão representados nesta exposição e nas colecções de um dos mais importantes museus do País.

 

 

 

Elvas

 

“YÁBURA, Uma cidade do Al-Andalus” é o título da exposição que a Câmara Municipal de Évora organizou no Convento dos Remédios,  e que corresponde ao encerramento de um longo percurso de inventariação, tratamento e estudo de materiais arqueológicos provenientes de várias escavações realizadas no Centro Histórico de Évora, testemunhos da ocupação islâmica e do porquê de Yábura, nome pelo qual se conheceu Évora entre os séculos VII a XII, ter sido descrita como cidade grande do al-Andalus.

Nesta mostra serão expostos diversos vestígios materiais da ocupação islâmica, desde as formas mais simples e incaracterísticas dos primeiros séculos, até às produções ornamentadas em corda seca ou ao estampilhado do período almorávida e almóada. No espólio cerâmico destacam-se os artefactos ornamentados com vidrado em “verde manganês”, em que se inclui um excecional conjunto com motivos antropomórficos, sendo o mais significativo do nosso país. As peças em exposição evidenciam a revitalização urbana e fortalecimento da rede comercial entre Évora e as diversas regiões do Andalus, nomeadamente a região de Córdova.

A exposição compõe-se ainda de diversos produtos multimédia, que através do recurso à tecnologia tridimensional, permitirão visualizar o espaço urbano que coube à antiga cidade de Yábura. Após um exaustivo processo de recolha de informações arqueológicas e análises comparativas, foi concebida uma proposta modelar de organização dessa desaparecida camada de Évora, que agora será exibida sob a forma de visita virtual. A cerâmica exposta, também poderá ser lida e apreendida enquanto experiência interativa.

A exposição será também complementada por um programa de animação cultural, composto por conferências, visitas guiadas e mostras de diversas de expressões culturais islâmicas. “YÁBURA, Uma cidade do Al-Andalus” contou com os apoios do CIDEHEUS, do Laboratório Hércules da Universidade de Évora, do Governo de Portugal/Secretário de Estado da Cultura/Direção Regional da Cultura do Alentejo, do Museu de Évora, do Museu Arqueológico Provincial de Badajoz, do Campo Arqueológico de Mértola, e da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo e o patrocínio do Turismo do Alentejo E.R.T.. A entrada é livre, estando patente ao público até 4 de Setembro, de segunda a sexta-feira, das 9:00 às 12:30 e das 14:00 às 17:30.

 

 

Estoril

 

 

Filipa Tojal, finalista da Faculdade de Belas Artes do Porto, ganhou o 1º Prémio do XXVIII Salão de Primavera, patente na galeria do Casino Estoril.

 

O prémio tem como patrona a Rainha Isabel de Bragança, esposa do rei Fernando VII, a fundadora do Museu do Prado, o mais emblemático museu de arte madrileno. Assim, inclusive através da Arte, se promove o estreitamento de relações entre os dois países ibéricos.

 

O Salão da Primavera nasceu em 1981 com o objectivo de promover e divulgar a arte dos jovens, nomeadamente dos estudantes de Belas Artes. Veja-se que, por exemplo, os professores que escolheram os participantes das suas Faculdades para a edição deste ano, haviam sido, também eles, finalistas premiados em Salões de Primavera: Hugo Ferrão, da Faculdade de Lisboa, e Domingos Loureiro, da Faculdade do Porto.

 

Obtiveram menções honrosas: António Bahia e Benedita Santos, ambos do Porto; Carolina Machado, Margarida Lopes, Rita Alfaiate e Sérgio Almeida, de Lisboa; Carolina Sales, de Moçambique; David Simões, de Setúbal; Karyna Iglesias, do Brasil; e Rita Sá Lima, de Ponte de Lima.

 

A mostra estará patente ao público, diariamente, das 15 às 24 horas, até 23 de Junho.

 

 

Estremoz

 

Museu Municipal Professor Joaquim Vermelho

 

 No Museu Municipal Professor Joaquim Vermelho, exposição “Raios de Luz” da pintora Ingrid Simons.

Actualmente, Portugal é a musa de Ingrid. A musa que sussurra para ela se concentrar não só no presente ou no futuro, mas também no passado. Para tentar de vez em quando uma paleta de cores diferente. Para investigar a luz do Mediterrâneo e explorar a cerâmica.

A musa, que lhe diz que a boa arte não é o resultado só de talento e “brain waves”, mas também de artesanato, perceção e perseverança.
A musa mostra que o mundo não consiste em apenas sucessos e fracassos, que o sentimento e a racionalidade são facetas complementares e que a felicidade é um resultado e não um objetivo. A sua musa mora em um paraíso secreto, mas quase certamente escondida em Portugal.

Esta iniciativa, que estará patente até 21 de Junho, é uma organização da Câmara Municipal de Estremoz com parceria da Fundação OBRAS.

 

- “RAIOS DE LUZ” – Pinturas de Ingris Simons - Museu Municipal Professor Joaquim Vermelho (até 21 de Junho de 2015);

 

Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte

 

EXPOSIÇÃO DE PINTURA DAS ALUNAS DO BRINCAMIX” – no Posto de Turismo de Estremoz (até 30 de Junho); Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte

- “ARTESANATO” – peças da coleção do artesão Manuel Maria Miranda – Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte (até 5 de Julho);

 

- “PRIMAVERA” - trabalhos dos alunos da Academia Sénior elaborados na Aula de Barrista – Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte (até 5 de Julho)

 

 


Galeria D. Dinis

 

 

- “ENCONTROS NO TEMPO” – Pinturas de António Carmo – Galeria D. Dinis (até 12 de Julho de 2015);

 

 

Arquivo Municipal

 

 

“Expostos de Estremoz: Da Roda ao Hospício” - O Arquivo Municipal expõe documentação sobre a temática dos expostos, dando a conhecer os estabelecimentos que em tempos existiram para acolher as crianças abandonadas do Concelho - Sala de Exposições do Arquivo Municipal (até 31 de Dezembro).

 

 

 

 

Lisboa

 

 

Fundação Oriente

Fundação Oriente tem o prazer de convidar para a inauguração da exposição UM DIA NA TERRA - Fotografias do quotidiano do planeta, de Gonçalo Cadilhe.
Patente até 7 Junho 2015.
Percurso comentado pelo autor:
30 Maio| 16.00 | Gratuito, mediante inscrição

 

 

Montijo

 

A Câmara Municipal de Montijo promove uma importante exposição de Pintura e Desenho de LUÍS ATHOUGUIA, intitulada Compulsão Metafórica, na Galeria Municipal, com inauguração no dia 20 de Junho às 18 horas. A linguagem do Autor serpenteia à volta e no âmago de uma meada cromática de matrizes fascinantes onde a luz (do étimo latino luce) é rainha, não consorte, não par de cama, mas rainha-mor; trata-se de uma luz vivaz, que já fecundou o pó, pô-lo a caminho, rumo à pátria da água.
Abeiramo-nos, afirmativamente, de um sonho com maiúscula, mas, para lá da construção desse habitat onírico, descortina-se um adestramento superconseguido na combinatória das cores, que são fixadas ou impostas ao suporte impelidas pela força táctil das mãos.

Todos os quadros onde reina o formidável pastel de Luís Athouguia, são janelas abertas para a emoção. São janelas que nos fazem ver vidas guilhotinadas mas que gozam de uma faculdade de locomoção desmesurada.

São janelas essenciais que deixando para trás o quotidiano mais prático se abrem a velozes mares de pensamento. São janelas incessantes que dão para montanhas movediças de sonhos. Não tenhamos medo de o dizer: o pastel substancial de Athouguia ilumina a nossa noite e traz-nos a pureza dos primitivos tempos em que podíamos tocar as estrelas com as mãos.LUIS ATHOUGUIA (Cascais 1953) é diplomado pelo IADE, Instituto Superior de Arte e Design - Lisboa. Considerado um dos grandes talentos no mundo artístico da sua geração, conta com um longo percurso expositivo.


Desde 1983 participou em mais de 4 centenas de relevantes exposições, nacionais e internacionais, de Pintura e Bienais de Arte. Foi distinguido, com o Prémio Vespeira na Bienal do Montijo 1997 e Prémio do Salão da Sociedade Nacional de Belas Artes 2011. Está representado em museus, instituições e importantes coleções nacionais e estrangeiras.

 

Nazaré



Deorre entre  6 e 28 de Junho, no Museu Dr. Joaquim Manso, Nazaré, a exposição "Mar e as suas tradições. Miniaturas do Mestre Herculano Elias", uma mostra de cerâmica daquele mestre caldense.

Trata-se de um conjunto de miniaturas que elege como temática a Nazaré, as suas gentes, embarcações e tradições.

Nascido a 8 de Julho de 1932, nas Caldas da Rainha, Herculano Elias é descendente de uma família de ceramistas, a destacar o seu tio-avô, o mestre Francisco Elias, criador da Escola Caldense das Miniaturas em Barro.

A sua obra manifesta desde muito cedo o gosto pela arte da miniatura, dando continuidade até aos nossos dias, entre outros géneros, à cerâmica e à pintura, que se expressa com personalidade própria e que constitui um exemplo de seriedade profissional e muita dedicação.

Os trabalhos apresentados apostam no extremo pormenor, sendo rigorosa a indumentária e a realidade das cenas representadas, o que lhes dá o valor de verdadeiros documentos iconográficos regionais.

Para assinalar o aniversário do Museu Dr. Joaquim Manso, a inauguração desta
exposição será no dia 6 de Junho, pelas 15h30.

A DRCC agradece a vossa colaboração na divulgação desta notícia.

 

 

Porto

 

Na “Galeria Vieira Portuense” inauguração da exposição "CRIAÇÕES DE ALMA" de NUNO DUQUE, pelas 16 horas do dia 13 de Junho.

 

A exposição poderá ser visitada de Terça-feira a Sexta das 14,00 às 19,00 horas e Sábados das 9,30 às 12,30 horas e das 14,00 às 19,00 horas, até 4 de Julho.

 

A entrada é livre.

 

 

Valença

 

A Câmara Municipal de Valença apresenta a exposição temática “Rio Minho: Identidade, Património Natural e Cultural”, até 13 de junho, no Núcleo Museológico Municipal, na Fortaleza.

Os barcos Carochos, os Biturões, as redes de pesca, antiquíssimos carretos de pesca, painéis temáticos, aquários com espécies dominantes no rio, imagens e documentos históricos são alguns dos atrativos desta exposição no museu valenciano.

Um conjunto de 11 painéis apresenta uma perspetiva completa do rio Minho com destaque para os aproveitamentos tradicionais do rio, os bosques de ribeira, as aves, as espécies invasoras, os peixes, os invertebrados, os anfíbios, mamíferos, repteis e os problemas ecológicos que afetam este rio. Uma mostra de painéis cuja base cientifica se centra no estudo realizado pelo G.E.A.S. – Grupo de Estudo dos Animais Salvaxes.

O Rio Minho proporciona a Valença uma frente ribeirinha de mais de 20 Km's de extensão, hoje, possível de descobrir através do corredor verde da Ecopista do Rio Minho.

A bacia hidrográfica do rio Minho é uma das duas em Portugal onde é possível, por exemplo, encontrar o salmão. Uma das espécies presentes a par do sável, savelha, lampreia, truta, entre tantas outras. Um espaço onde aparecem algumas espécies de mamíferos associadas ao meio aquático e vegetação ribeirinha, como a lontra que torna o rio Minho, na sua passagem por Valença, um habitat e corredor ecológico de elevada importância.

Esta exposição é uma oportunidade para ficar a conhecer melhor a relação de Valença com o rio Minho, ao longo dos tempos, o seu aproveitamento, recursos e influência que o mesmo foi tendo na formatação da identidade desta cidade fronteiriça e ribeirinha.

 


Vila Franca de Xira

 

Até ao dia 25 de Outubro de 2015, no Núcleo Sede do Museu Municipal de Vila Franca de Xira, a exposição “A Arte no Concelho de Vila Franca de Xira – Grandes Obras” dá a conhecer aos visitantes e estudiosos um património artístico de inesperada riqueza no que toca ao recheio das suas igrejas, capelas, palácios, antigos conventos, museus e coleções privadas e são ainda numerosas as obras de arte de evidenciada qualidade que chegaram aos nossos dias, entre escultura, pintura, azulejos, talha dourada, têxteis, mobiliário, lapidária, ferragem e outras modalidades.

Exposição comissariada por Vitor Serrão e José Meco

 

 

Vouzela

 

 

 

 

Biblioteca Municipal de Vouzela recebe exposição sobre a comunicação social do concelho

 

No âmbito das comemorações dos 100 anos das Festas do Castelo, vai estar patente na Biblioteca Municipal de Vouzela, de 5 a 21 de junho, uma exposição sobre a comunicação social no concelho.

 

Trata-se de uma mostra sobre a evolução da comunicação social no concelho, desde os primórdios até à atualidade e que inclui imprensa escrita, material tipográfico e radiofónico.

 

A exposição, organizada pela Comissão dos 100 anos das Festas do Castelo e do Município de Vouzela, será inaugurada hoje, dia 5 de junho, pelas 18h30, na sala polivalente do rés do chão da Biblioteca Municipal de Vouzela.

 

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!