Exposições Outubro 15

 

Exposições que podem ser visitadas durante o mês de Outubro em: Aveiro, Batalha, Benavente, Cascais, Estremoz, Vila Franca de Xira

 

 

 

 

 

 

 

Aveiro

 

 

Esculturas de Francisco Santos no Museu Arte Nova

 

O Museu Arte Nova de Aveiro tem patente a exposição “Ofereço-te as minhas fábulas…”, do escultor Francisco Santos.

Na galeria das peças escultóricas, em vidro, encontram-se figuras mitológicas e as que homenageiam as mulheres, entre outras obras representativas do universo criativo do vitralista e pintor conimbricense. Uma exposição que promete constituir-se como uma encenação de espaços e volumes, de jogos de luz e de reflexos multicolores.

Francisco Santos é licenciado em pintura, na ESBAP.

Estuda vitrais e escultura em vidro na Oficina do Mestre Vahamona-Canadá e fusing e cerâmica com Mestre J. Santilli, em Itália. Este é mais um passo de uma longa caminhada traduzida em Exposições diversas, nomeadamente Canadá, França e Portugal. Paralelamente à atividade de escultor em vidro, Francisco Santos desenvolve, também, trabalhos em vitral e pintura. Executa obras para residências particulares no país e no estrangeiro. Salientem-se algumas: Igreja da Misericórdia de Penalva do Castelo; Fundação Bissaya Barreto, Tocha; CEDILE-Centro de Diagnóstico de Leiria; Escola Profissional Diogo de Azambuja, Montemo-o-Velho; Igreja da Gesteira, Soure; Igreja de Chãos, Tomar Igreja das Meãs, Igreja de Arazede.

As suas últimas exposições individuais foram: “Dispersões” - Figueira Shopping - Figueira da Foz, “A Malangatana” - Galeria Augusto Pereira - Montemor-o-Velho, “A Arte do Fogo” – Alcobaça, na Casa da Cultura – Nazaré, Projeto “Itinerâncias”: Casa dos Matarrachos/Mangualde – Galeria Osiris/Caldas da Rainha e “O Afinador de Silêncios” – Câmara Municipal de Lisboa.

Está representado no Museu do Vidro da Marinha Grande, no Museu Escolar de Marrazes – Leiria, na Associação Fernão Mendes Pinto, na Associação Diogo de Azambuja, na Fundação Bissaia Barreto, na Biblioteca Afonso Lopes Vieira, no Instituto Politécnico de Leiria, na Câmara Municipal de Mangualde e na Câmara Municipal de Lisboa.

Está representado em várias coleções no país e no estrangeiro, entre eles, Estados Unidos da América, Brasil, França, Itália, Alemanha, Canadá, Espanha.

A exposição no Museu da Cidade de Aveiro fica patente até ao dia25 de Outubro.

 

 

 

Batalha

 

 

Dia 19 de Outubro, inauguração Exposição Escultura "Pedras com História", no Museu da Batalha. A mostra pode ser vista até 30 de Novembro.

 

 

Benavente

 

Campinos – vidas com memória”

 

Nobre figura. Guardião da “borda d’água” e do gado que a percorre. Altivo montado no seu cavalo, tem na mão firme o pampilho. Jaqueta e calção escuros. Colete encarnado e camisa branca. Sapatos com saltos de prateleira. Meias brancas rendilhadas, em pinha. Na cabeça o barrete verde, símbolo maior do Ribatejo. No peito, exibe com orgulho uma simples chapa com o brasão da casa agrícola a quem dedica o amor do seu trabalho…

Venha conhecer ou recordar outros tempos e momentos da dura vida do Campino, com fotografias e instalações que mostram bem as raízes de um povo que tinha como principal meio de subsistência na primeira metade do século XX o trabalho no campo.

Esta exposição estará patente até 31 de Outubro

 

 

Picaria de Benavente”, fotografias de Armando Isaac

 

A importância desta festa para a vila e para as gentes de Benavente, numa exposição que pretende mostrar a arte do maneio do gado em contexto de Festa. A componente brava, aliada às perícias dos Campinos, atrai milhares de pessoas todos os anos ao Calvário para a Festa da Picaria. A partir dos magníficos registos fotográficos de Armando Isaac é possível perceber a dimensão que este evento ganhou dentro Sardinha Assada de Benavente, da qual é já parte indissociável.

Na ocasião será editado um livro de fotografias da Picaria de Benavente, também pela objectiva de Armando Isaac.

A exposição estará patente na sala Joaquim Rodrigues Parracho até 31 de Outubro

 

 

 

Cascais

 

 Casa de Santa Maria

 

Assim dito - Homenagem à cadeira portuguesa – soa a estranho, sem dúvida; mas é esse o título da exposição que, a inaugurar no próximo dia 24, pelas 17.30 h, na Casa de Santa Maria, em Cascais, ali vai estar patente até 31 de Janeiro.

Que homenagem será? A resposta é… para se ir espreitar!

 

 

 

Estremoz

 

Arquivo Municipal

 

Expostos de Estremoz: Da Roda ao Hospício” - O Arquivo Municipal expõe documentação sobre a temática dos expostos, dando a conhecer os estabelecimentos que em tempos existiram para acolher as crianças abandonadas do Concelho - Sala de Exposições do Arquivo Municipal (até 31 de Dezembro).

 

Galeria Municipal D. Dinis

 

“BONECOS DE ESTREMOZ DE RICARDO FONSECA” – Trabalhos do artesão Ricardo Fonseca – Galeria Municipal D. Dinis (até 5 de Dezembro de 2015).

 

Salão da União das Freguesias de Estremoz S. Maria e S.André

 

- “EXPOSIÇÃO COLETIVA DE ARTE E PINTURA” – Quadros de vários artistas elaborados com diferentes materiais - Salão da União das Freguesias de Estremoz (Santa Maria e Santo André) (até 30 de Novembro de 2015)

 

Posto de Turismo

 

 

- “MARYS´S ARTSAND” – Pinturas em areia de Maria João Costa – Posto de Turismo de Estremoz (até 1 de ´Novembro de 2015);

 

 

- "Olhares de hoje. À descoberta do Património Industrial de Estremoz" – trabalhos selecionados do concurso fotográfico, integrado nas Jornadas Europeias do Património 2015 - Posto de Turismo (até 1 de Novembro de 2015);

 

 

Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte


- “ARTISTARTESÃO” – Mobiliário europeu dos séculos XIX e XX da coleção do galerista Franck Laigneau - Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte (até 30 de Novembro de 2015).

 

 

Teatro Bernardim Ribeiro


- “175.º ANIVERSÁRIO DA SOCIEDADE FILARMÓNICA LUZITANA” - Exposição sobre a história da mais antiga filarmónica do país com atividade ininterrupta - Teatro Bernardim Ribeiro (até 31 de Outubro)

 

 

 

   Vila Franca de Xira

 

Até ao dia 25 de Outubro de 2015, no Núcleo Sede do Museu Municipal de Vila Franca de Xira, a exposição “A Arte no Concelho de Vila Franca de Xira – Grandes Obras” dá a conhecer aos visitantes e estudiosos um património artístico de inesperada riqueza no que toca ao recheio das suas igrejas, capelas, palácios, antigos conventos, museus e coleções privadas e são ainda numerosas as obras de arte de evidenciada qualidade que chegaram aos nossos dias, entre escultura, pintura, azulejos, talha dourada, têxteis, mobiliário, lapidária, ferragem e outras modalidades.

Exposição comissariada por Vitor Serrão e José Meco

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!