Monumentos e Sítios celebrados em Cascais

Freiria2014CCppFotos: César Júnior

Localizada na Freguesia de São Domingos de Rana, a Villa Romana de Freiria remonta ao primeiro século antes de Cristo tendo a sua ocupação pelos romanos perdurado até ao século VIII da  era cristã. O espaço teve uma ocupação intensiva e continua pelo menos, desde o Calcolítico, havendo sido encontrados vestígios do Período Campaniforme e da  Idade do Ferro. Há ainda evidências da anterior existência de um povoado amuralhado, atestadas por diversos achados.

 

 

Já no período de ocupação romana, a Villa terá pertencido a Titus Curiatius Rufinus, como se comprova pela inscrição patente na sua lápide funerária dedicada à divindade pré-romana Tribunnis.

 

 

Freiria2014CC30ppEm diversas campanhas arqueológicas lideradas pelos arqueólogos José d’Encarnação e Guilherme Cardoso que tiveram início em 1985, foram postas a descoberto uma domus composta por um  Peristilo circundado  por "espelhos de água", para além do corredor envolvente, provido de colunas e um quadrante solar, dos primeiros séculos da Era Cristã. É de destacar também a existência de pavimentos em mosaicos polícromos que revestiam algumas das habitações e que, devido ao abandono em que se encontra o local, estão espalhados por todo o recinto. Possuia  também um complexo de termas, com banhos quentes e frios.

Para além da habitação, a villa apresenta uma importante vertente rural, composta por celeiro, moinho, um lagar e um forno de cozer pão. Encontraram-se ainda um grande conjunto de telhas que poderão ter feito parte de uma estrutura coberta que ligaria as diversas partes que compõem a Villa Romana, assim como vestígios de um antigo cemitério, com área própria para incineração dos cadáveres.

Esta villa foi classificada como Imóvel de Interesse Público em 19 de Junho de 1997, através da Resolução do Conselho de Ministros nº 96/1997, sendo um dos mais importantes sítios arqueológicos de Cascais. Posteriormente, toda a área envolvente obteve idêntica classificação, pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 81/2005 de 31 de Março .

 Após repetidas campanhas arqueológicas, a última das quais decorreu em 2002, por falta de apoio financeiro quer do Município quer da Secretaria de Estado da Cultura, as escavações pararam e, desde então – já lá vão12 anos – a estação tem estado um pouco abandonada, o que originou, para além de actos de vandalismo, o roubo de algumas peças, nomeadamente, duas bases de coluna do peristilo, e um fragmento do mosaico policromo, em Novembro de 2008.

Presentemente, a autarquia que já elaborou um Plano de Pormenor para aquela área, está também a projectar a musealização da villa. No entanto, como os terrenos onde se encontra pertencem a privados, é de prever que as negociações não sejam fáceis. Estes e outros factos foram revelados no passado dia 18, pelo Prof. Dr. José d'Encarnação, que juntamente com o Dr. Guilherme Cardoso foram cícerones de uma visita guiada, promovida pela Black Raven e Associação Cultural de Cascais, no âmbito das comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios.

(Praia da Rainha e Boca do Inferno)

CascispraiaRainhaCC14ppCascaisBocaInfernoCC14pp

 

Esta foi a primeira das quatro visitas guiadas que a Black Raven organizou. Ainda nesse dia, durante a noite, decorreu uma outra intitulada “Cascais ao Luar. Lendas, Mitos e Outras Histórias”, em que os participantes tiveram por cícerone a historiadora Vera Cardoso, que os levou a conhecer os locais míticos da bela vila de reis e pescadores.

No dia seguinte, pela manhã, sob o tema “Cascais entre Naufrágios e Piratas!”, Vera Cardoso conduziu, de novo, um grupo de visitantes pelas praias de Cascais até à Boca do Inferno.

À noite, a historiadora conduziu a última das visitas que marcaram o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, ao "Estoril Assombrado", onde se deram a conhecer as mais incríveis estórias da localidade que foi conhecida como  berço do turismo português. 

 

Recordamos que dentro em breve – dia 27 de Abril – a Black Raven organiza um evento denominado “Castelo Assombrado”, em Castelo Mendo.

 

 

Ver mais fotos: https://www.facebook.com/media/set/edit/a.677965442260266.1073741947.171996492857166/

cyberjornal, 26 abril 2014

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!