Ninho da Ciência para 500 alunos

Estarrejaninho1Numa iniciativa do município de Estarreja, terminou na terça-feira uma longa viagem no tempo até há 500 milhões de anos atrás... O programa Ninho de Ciência, que a autarquia promove anualmente, passou na última semana pelas escolas do concelho para abordar o tema "Quando eramos peixes".

EstarrejaninhoNo final de uma longa maratona de 24 sessões que envolveram 500 alunos dos 3º e 4º anos do 1º ciclo do ensino básico, o balanço é positivo. As crianças aderiram com grande interesse às aulas orientadas por José Augusto Matos, da FISUA - Associação de Física da Universidade de Aveiro.

«Fomos ao tempo em que todos os seres vertebrados eram peixes», explica José Matos, que conduziu os alunos nessa viagem até aos nossos antepassados mais longínquos, passando pelas fases mais importantes da evolução da vida e «como chegamos até ao Homem». Os seres humanos são descendentes desses peixes, da mesma forma que o são todos os animais que viveram desde então e que tinham espinha dorsal.

Sempre com uma linguagem acessível e com recurso a objetos comos alguns exemplares de fósseis que os alunos puderam ver ao vivo e a cores. «Para muitos os fósseis são uma novidade», referiu José Matos. O objetivo final destas sessões é «perceberem o conceito de evolução. A vida tem mudado, tem-se transformado», afirmou no final de uma sessão na Escola das Cabeças, em Veiros.

Na mesma freguesia, a professora Rosa Silva, da Escola do Pinheiro, salientava as vantagens do programa Ninho de Ciência. «É uma formação vantajosa e uma mais-valia para sistematizar a matéria que estamos a dar». Após uma sessão bastante participada pelos alunos, a docente afirmava que eles se mostram «muito cativados, com interesse e gostam», também pelos «recursos atrativos» utilizados.

 

 

CME/cyberjornal, 5 dezembro 2013

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!