Notícias de cá...10 Setembro 18

Por: A.F.

Cerca de 200 cientistas, médicos e técnicos vão trabalhar no novo centro de investigação e tratamento do cancro do pâncreas anunciado pela Fundação Champalimaud na cerimónia da entrega do Prémio Champalimaud de Visão 2018. Ainda não se sabe quando começará o processo de recrutamento, que vai certamente atrair candidatos nacionais e estrangeiros. Com efeito, a fundação tem neste momento 304 investigadores de 42 nacionalidades com uma idade média de 32 anos, sendo 45% estrangeiros.

O que se sabe é que será o primeiro centro do mundo dedicado simultaneamente à investigação e ao tratamento daquele tipo de cancro, o seu edifício terá 10 a 15 mil metros quadrados acima do solo e a sua abertura está prevista para 5 de Outubro de 2020, precisamente no 10º aniversário da inauguração do Centro Champalimaud para o Desconhecido (2010) na zona ribeirinha de Pedrouços, em Lisboa.

A fundação pretende que venha a ser também um centro de projeção internacional. Por isso vai chamar-se Botton-Champalimaud Pancreatic Centre, porque será financiado por uma doação de 50 milhões de euros do casal de mecenas franceses Maurício Botton Carasso – neto do fundador da Danone – e Charlotte Botton.

É a primeira vez que uma família estrangeira confia a uma instituição filantrópica portuguesa uma responsabilidade desta natureza.

O projecto é do arquiteto indiano de origem goesa Charles Corrêa (falecido em 2015), o mesmo que projectou a Fundação Champalimaud, tendo incluído na altura a hipótese da sua expansão. Agora a equipa que trabalhou com ele vai concluir na Índia esse projeto. O terreno onde o centro vai nascer faz parte do contrato de concessão por 100 anos do Porto de Lisboa.

Maurício Botton Carasso, de 85 anos, representa a terceira geração da família de judeus sefarditas Carasso. Foi responsável pela investigação e desenvolvimento de novos produtos da Danone, uma das maiores empresas alimentares do mundo.

 

 

 

 

 

 

 

 

José Tolentino de Mendonça assumiu o cargo de director da Biblioteca e dos Arquivos Secretos do Vaticano. À Ecclesia, o novo arcebispo disse que é preciso “retirar a parte ficcional de que se trata de um arquivo que esconde segredos inacessíveis”.

 

 

 

 

 

 

 

 

São os mais ricos entre os ricos de Portugal. Nove famílias (de um universo de 45)detêm fortunas que somam 12 mil milhões de euros, cerca de 6% do Produto Interno Bruto (PIB). De fora deste grupo exclusivo está a família que, durante décadas, definiu o padrão de riqueza nacional: os Espírito Santo. Nem a família, nem nenhum dos seus membros integra a lista dos 45 mais ricos do País elaborada pela revista “Forbes” Portugal.

Na liderança está a família Amorim. A matriarca, Maria Fernanda Amorim e as suas filhas Paula, Luísa e Marta, acompanhada do sobrinho, António Rios Amorim (presidente da Corticeira Amorim SGPS) garantem uma fortuna superior a 4,5 mil milhões de euros baseada nos negócios da cortiça e do petróleo da Galp.

Na 2ª posição está a família de Alexandre Soares dos Santos. São 3,4 mil milhões alicerçados no retalho alimentar Jerónimo Martins.

A família Alves Ribeiro ocupa a 3ª posição. Tem um património superior a 1,4 mil milhões feito na construção civil, na gestão de centros comerciais e na banca. Os Mello, a mais antiga família no top 10, está em 4º lugar com 1,1 mil milhões, vindos da Saúde e das concessões rodoviárias. A família de Pedro Queiroz Pereira (recentemente falecido) vem em 5º também com mais de 1,1 mil milhões alimentados pela indústria da celulose. A família Violas ocupa a 6ª posição abaixo da fasquia dos mil milhões (889) com origem nos Casinos Solverde e Unicer.

A grande surpresa está no 7º lugar. Luís Vicente, fundador do grupo com o seu nome, vale 822 milhões de euros. O negócio de fruta e legumes com sede em Torres Vedras internacionalizou-se por todo o Mundo.

Em 8º está José Neves, com 41 anos o fundador da Farfech que se dedica ao e-commerce da moda e que vale 689 milhões.

O comendador Fernando Teixeira encerra a lista no 9º lugar com 612 milhões de euros do Grupo Ferpinta.

 

 

 

 

 

 

 

 

É  uma das casas senhoriais mais antigas e emblemáticas do Minho: a Casa de Pomarchão, em Ponte de Lima, foi doada pelo proprietário recentemente desaparecido, Frederico Luís de Albuquerque Vilhena Vilar, à Fundação Champalimaud. É uma das mais significativas doações feitas à Fundação criada por António Champalimaud. O solar foi construído no século XV, tendo sofrido melhoramentos significativos em 1775, nomeadamente com a construção de uma capela barroca. A Fundação vai criar na Casa de Pomarchão, situada na margem do rio Lima, um centro internacional de encontros e retiros científicos. Uma das novidades previstas a partir de Janeiro é a realização de “encontros improváveis” que juntarão cientistas e intelectuais de diferentes áreas, como medicina e arte, ou biologia e música.

 

 

 

 

 

 

 

 

Foi assinado recentementeum Protocolo de Colaboração entre o Ministério da Administração Interna e a Câmara Municipal de Albufeira, para as obras de requalificação das novas instalações do Posto Territorial da  Guarda Nacional Republicana de Olhos de Água.  Esta obra insere-se no âmbito da Lei de Programação de Infraestruturas e Equipamentos das Forças e Serviços de Segurança do MAI e representará um investimento global  de cerca de 300.000 €.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

e ainda:

 

 

Amadora

A próxima sessão dos Encontros Imaginários na Amadora realiza-se hoje, segunda-feira, pelas 21.30, no auditório da Biblioteca Municipal Fernando Piteira Santos, como habitualmente, e recordará as personagens da História: Sidónio Pais, Luís Buñuel e Isadora Duncan.

 Entrada livre.

 

Anadia

 Decorre a partir de hoje até 1 de outubro, o prazo para entrega das candidaturas às 50 bolsas de estudo que o Município de Anadia disponibiliza aos estudantes do concelho que frequentem o ensino superior no ano letivo 2018-2019.

No valor de mil euros cada, estas bolsas destinam-se à comparticipação da frequência de cursos que confiram os graus académicos de técnico superior profissional, de licenciatura, e de mestrado, ministrados em estabelecimentos de ensino públicos ou privados, em Portugal, nos termos do “Regulamento Geral de Ação Social”, em vigor desde o passado dia 7 de agosto.

Com esta medida, que integra o sistema de benefícios sociais do Município de Anadia, a autarquia propõe-se promover a coesão social e a igualdade de oportunidades.

As candidaturas, a instruir de acordo com o estipulado no referido regulamento, devem ser entregues no Serviço de Ação Social do Município de Anadia (Centro Cultural de Anadia), no período indicado, podendo os interessados obter mais informações em https://bit.ly/2PP4Lvo.

 

Linda-a-Velha

Estão a decorrer desde o passado dia 8, as Festas de Linda-a-Velha em Honra de Nossa Senhora do Cabo, que terminam dia 30 de setembro e trazem novidades.

 Este ano as Festas decorrem num espaço mais amplo, atrás da Escola Secundária Professor José Augusto Lucas, no descampado em frente à Estação Radionaval Comandante Nunes Ribeiro, cedido pela Marinha Portuguesa.

Outra inovação é na animação, que inclui carroceis, carrinhos de choque e outros divertimentos, não só para crianças como também para adultos.

Os visitantes poderão ainda contar com restauração variada: hambúrgueres, pregos, cachorros, kebabs, tostas, porco no espeto, farturas, churros, algodão doce, pipocas e crepes.

As bancas de artesanato e produtos regionais também vão estar presentes com várias ofertas, não faltando os chouriços, os queijos e as compotas caseiras.

A animação musical conta, entre outras com actuações de José Cid (dia 15 de setembro, às 21.30), Baba Soul(dia 16, às 21.30), Fiesta Lusa (dia 23, às 21.30), Otis Saxofone e Banda (dia 16, às 18.30), e os tributos a Bryan Adams (dia 14, às 21.30) e aos Xutos e Pontapés (dia 22, às 21.30).

 

Palmela

O miniautocarro do Centro Histórico da vila de Palmela vai ter um novo percurso a partir de hoje. Com esta medida, a Câmara Municipal de Palmela, melhorará a articulação entre o serviço e os transportes públicos, com uma maior frequência na circulação do miniautocarro. O novo percurso permitirá, ainda, a otimização do circuito, no acesso dos utentes ao Centro de Saúde, com mais paragens no Centro Histórico.

Recorde-se que este percurso realiza-se de segunda a sexta-feira, com partidas da Alameda 25 de Abril, entre as 8h30 e as 18h45 e tem a duração de 35 minutos.

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!