Alcântara revaloriza-se

LxAlcantaraPortugal02Por: A.F.

A zona de Alcântara, em Lisboa, está em alta e vai tornar-se a médio prazo um dos principais centros de serviços da capital. Com a construção do hospital da CUF a andar em bom ritmo e a notícia de novos investidores na Lx Factory, há também novidades naquele que é considerado um dos maiores projetos da capital: o Alcântara Offices, do grupo SIL, há 24 anos em espera para avançar, vai finalmente arrancar para a obra, graças à participação do BPN Paribas. 

Aquele que é o segundo maior banco da Europa e o top 10º em todo o mundo (segundo ranking da “Forbes Global 2016”), está a consolidar a sua posição em Portugal no que diz respeito à instalação de centros de serviços partilhados. E precisa cada vez mais de espaço.

Atualmente com 4 mil colaboradores a trabalhar em Lisboa (9% dos quais oriundos de 44 países), o grupo financeiro ocupa, como inquilino, vários edifícios no centro da cidade. Mas a escolha estratégica de Portugal para acolher os centros operacionais de serviços partilhados terá pesado  na decisão de adquirir um espaço próprio.

O projeto do grupo SIL tem prevista a construção de 72 mil m2 acima do solo e 40 mil m2 de estacionamento subterrâneo, num investimento global de €145 milhões. Volvidos 13 anos desde os primeiros planos o actual projeto com assinatura de Frederico Valsassina vai ter 11 prédios com mais de sete pisos cada. O objectivo é alocar 50% da área prevista para habitação e a outra metade para escritórios.

Por parte do BPN Paribas, o objectivo será ficar com metade da área destinada a escritórios – cerca de 15 mil m2-, financiando o projeto, em sociedade com a SIL, e mantendo-se depois como inquilino, após o término das obras.

Lisboa está em franca expansão imobiliária e não é só nos segmentos residencial e turístico. O imobiliário comercial tem registado dinamismo em especial na zona ribeirinha, um processo iniciado há cerca de uma década, quando a EDP lançava a primeira pedra para a construção da sua sede, movimentando então toda a zona de Santos. Alcântara tem-se assumido como uma extensão natural deste processo.

A despontar encontra-se já a obra do futuro hospital CUF Tejo, da José de Mello Saúde. A nova unidade de saúde, projectada também por Frederico Valsassina, está localizada entre a Avenida 24 de Julho, a Avenida da Índia e a Rua de Cascais e terá mais de 75 mil metros quadrados distribuídos por seis pisos.

A escassos minutos de distância do hospital e paredes-meias com o futuro projeto da SIL, está ainda o complexo cultural e empresarial Lx Factory.  

cyberjornal, 5 Outubro 2017

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!