Cascais homenageou mais uma vez Camões

camoesPor: José d’Encarnação

 

Cumpriu-se a tradição: perante as forças vivas do concelho, procedeu-se ao solene içar das bandeiras (a portuguesa, a da União Europeia e a do município cascalense) na varanda dos Paços do Concelho, pelas 10.30 horas de 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Ouviu-se antes, cantada e acompanhada por uma banda, a ‘Canção do Mar’, oportuna escolha para uma cerimónia frente ao Atlântico, a evocar o nosso passado de navegadores cantados pelo Poeta.

 

 

 

 

 

 

 

Daí, os representantes das entidades dirigiram-se para o Largo Camões, a fim de se proceder, como é prática há 39 anos por iniciativa da Sociedade Propaganda de Casvas, à deposição de coroas de flores aos pés da estátua do Épico. Primeiro, a Sociedade Propaganda; depois, as coroas das quatro juntas de freguesia (Cascais e Estoril, Alcabideche, Parede e Carcavelos, S. Domingos de Rana), o ramo da Capitania do Porto de Cascais e, por fim, a coroa do Município. Ouvira-se previamente o toque de sentido, pelo que os estandartes das entidades ficaram em vénia durante a deposição.

Durante o percurso do Largo 5 de Outubro para junto da estátua, uma senhora portuguesa dizia, em conversa com outra, quão era de admirar homenagear-se assim um poeta que já morrera há tanto tempo. Como ainda se recordavam dele!... E pensei de mim para comigo: «Que outro percurso, bem longo, ainda há a fazer no sentido de se criar a cidadania, a cultura, o sentir português, que não apenas diante da vitória da equipa das quinas, ao ter arrebatador, no dia anterior, a Taça da Liga das Nações!».

 

cyberjornal, 10 Junho 2019

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!