É bom viver em Sabrosa

sabrosa

 

 Durante o Seminário "O combate à pobreza e exclusão social nos territórios de baixa densidade”, promovido pela EAPN - Rede Europeia Anti-Pobreza, e realizado no dia 25 de outubro, no Regia Douro Park em Vila Real, foram conhecidos alguns dados importantes sobre os concelhos do Distrito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SabrosaCMNo “Bilhete de Identidade distrital” produzido pelo Núcleo Distrital de Vila Real da EAPN Portugal, no item “Rendimento e Condições de Vida”, alusivo a 2013, o concelho de Sabrosa lidera no distrito com um ganho médio mensal dos trabalhadores por conta de outrem de  986,60 euros. Na mesma recolha estatística concluída em Abril de 2017 da EAPN, e aqui tendo em conta o universo dos Censos 2011, Sabrosa é o concelho que revelou menor taxa de abandono escolar.

Mesmo salvaguardando eventuais variáveis nesta recolha estatística, estes dados revelam um desenvolvimento real socioeconómico do concelho e, ao mesmo tempo, impute-lhe um maior estímulo e uma responsabilidade assumida em trabalhar, apoiar e promover ações para que esta evolução social continue e seja mais abrangente, numa missão que terá de ser partilhada com todos os agentes institucionais, sociais, educacionais e empresariais do território.

Sabrosa é bonita simpática vila do distrito de Via Real, localizando-se, portanto, na região demarcada do Vinho do Porto.

Conhecida por ser o berço do navegador do século XV, Fernão de Magalhães, neste concelho há marcas de ocupação humana bem remota, com vestígios arqueológicos que remontam ao período neolítico, como Antas e Dólmenes, ou Castros habitados desde a Idade do Ferro, posteriormente romanizados, como o Castro da Sancha. De salientar ainda a existência de sepulturas paleocristãs escavadas nas rochas, visíveis por toda a região, datadas da Idade Média. 
Foi partir do século XVIII, que devido ao fomento da industria vinhateira e à criação da região demarcada do Douro, que Saborosa começou a desenvolver-se mais, tendo então sido construídos diversos solares e casas senhoriais, com granito da região, caso do Solar da família Barros Lobo, ocupado presentemente pela Câmara Municipal, a Casa dos Canavarros, a da Comba, a do Navegador, a do Largo com as suas belas janelas manuelinas, entre outras. 
Datada do século XVIII, a Igreja Matriz, em estilo barroco e construída no local da anterior Capela de Fernão de Magalhães , alberga um valioso espólio de Arte Sacra, que vale a pena visitar.

 

 

CMS/cyberjornal, 31 Outubro 2017

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!