Estarreja financia novo Bloco Operatório

Estarrejavistas15O presidente da Câmara Municipal de Estarreja, Diamantino Sabina, anunciou um investimento de 300 mil euros no Hospital Visconde de Salreu (HVS), a empregar prioritariamente na beneficiação da Unidade de Cirurgia de Ambulatório. O compromisso apresentado ontem à noite na sessão extraordinária da Assembleia Municipal de Estarreja, em que se debateu o Projecto da Unidade de Cuidados Paliativos, poderá ser a salvação do bloco operatório, do qual o Município não quer abrir mão.

A discussão aconteceu na sessão extraordinária da Assembleia Municipal de Estarreja que decorreu ontem à noite no Edifício dos Paços do Concelho, com um único ponto na ordem de trabalhos: a apresentação e discussão do Projeto da Unidade de Cuidados Paliativos a instalar no HVS, Polo de Estarreja do Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV).

A apresentação do projecto, inserido no Plano Estratégico do CHBV e anunciado por Manuel Ferreira Teixeira, Secretário de Estado da Saúde, em Estarreja em julho de 2014, foi ontem feita pelo Presidente do Conselho de Administração do CHBV, Aurélio Rodrigues. Está previsto um investimento de 900 mil € e as obras deverão arrancar já no próximo mês de junho.

Assembleia e Câmara Municipal contestam que a criação da unidade de paliativos possa significar a extinção de outras valências do HVS, nomeadamente o bloco de cirurgia. Essa hipótese é completamente rejeitada por Diamantino Sabina, que tem vindo a criticar o sucessivo esvaziamento da unidade hospitalar e a defender a continuidade da Unidade de Cirurgia de Ambulatório. Para combater essa possibilidade, o autarca comunicou, durante a Assembleia, que a Câmara Municipal assumirá uma comparticipação até ao montante total de 300 mil euros, desde que seja assumida a manutenção do Bloco Operatório, um dos melhores serviços assistenciais do país.

A autarquia está disposta a avançar com a verba necessária para custear um novo bloco. “Fica aqui o compromisso. A Câmara Municipal assume a despesa até 300 mil euros para que possamos fazer este projeto (Unidade de Cuidados Paliativos) sem por em causa o Bloco Operatório”, anunciou Diamantino Sabina lançado o repto ao CHBV para que não se inviabilize o serviço de cirurgia em Estarreja. “Está dentro das nossas expectativas que se mantenha”, reforçou o autarca.

A proposta está em cima da mesa tendo Aurélio Rodrigues admitido a manutenção do bloco, perspetivando a realização das necessárias obras de melhoria. “Aprecio a atitude da Câmara e poderá ser um contributo para se resolver de outra forma” este problema ao “acoplarmos a esta obra a intervenção de imediato de reconstrução do bloco operatório”.

A Assembleia Municipal sufragou de novo e de forma unânime a moção “Por um Hospital Melhor”, que defende a manutenção do bloco cirúrgico na intervenção prevista, considerando a possibilidade simultânea de prestação de cuidados paliativos. O documento reivindica um plano estratégico que garanta estabilidade a profissionais e utentes, a abertura de um serviço de urgência básico, consultas de especialidade e o retorno dos meios complementares de diagnóstico ao HVS.

cyberjornal, 30 Maio 2015

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!