Notícias de cá

BVCarcaveloslogoPor: AF

Faleceu esta noite, no Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa, um dos bombeiros da Associação dos Bombeiros Voluntários de Carcavelos, que ontem sofreram um grave acidente com um veículo tanque, quando se dirigiam para um incêndio rural, em Asfamil, Serra das Ligeiras. José Moreira, de 41 anos, era pai de 2 filhos menores.

Também o  motorista do veículo sinistrado, bombeiro Hugo Guerreiro, de 31 anos, está internado no mesmo hospital, embora já livre de perigo.

 

 

 

 

 

 

 

Fesmar2013pp18Entre 21 e 30 de Agosto, a música está de regresso à Baía de Cascais nas tradicionais Festas do Mar. Ao longo de 10 dias, pelas 20.30 h, são 20 as bandas e artistas que pisam "o palco mais próximo do Atlântico", como realça a organização.

A abertura, no dia 21, será feita pelos Clã e o encerramento dá-se com a Sinfónica de Cascais a tocar alguns dos grandes clássicos de Hollywood sob a batuta do maestro Nicolay Lalov. Pedro Abrunhosa, Polo Norte, Ana Moura, Paulo Gonzo, Resistência, HMB & convidados e The Gift são alguns dos cabeças de cartaz do evento, que proporciona este ano um momento único no próximo dia 23. Trata-se do reencontro entre os Trovante - Luís Represas e João Gil, que voltam a juntar-se, 24 anos depois da dissolução da banda.

E este ano a celebração será inteiramente nacional: "Em Cascais sabemos que o que é nacional é bom e, como vemos pelo cartaz deste ano, não é necessária a presença de um artista estrangeiro para termos um cartaz de luxo" adianta a organização. As primeiras partes dos concertos continuam a ser asseguradas por bandas ou artistas locais que têm assim, uma oportunidade rara para promoverem o seu trabalho.

Na vertente religiosa destaca-se, no dia de encerramento, pelas 15 horas, a tradicional procissão em honra de Nossa Senhora dos Navegantes.

Ainda no dia 30, a celebração final das festas será, literalmente, explosiva, graças a um espectáculo de fogo de artifício que encherá a Baía de Cascais de luz e cor.

As Festas do Mar contam ainda com a presença de tasquinhas com petiscos, para que ninguém fique sem energia para cantar e dançar depois de ter passado um dia pela praia.

Paralelamente, nesta edição realiza-se ainda uma exposição de artesanato, que dará a conhecer ao público o trabalho desenvolvido por várias associações locais. E agora, a cereja no topo do bolo: a entrada é livre.

 

 

 

 

HotelAtlanticonovoAbriu discretamente a 20 de Julho, e tem estado com a ocupação a 100%, antes mesmo de ter sido feita qualquer promoção, segundo declarações de Giuseppe Vincelli, director-geral do hotel – o InterContinental Estoril, que funciona em três andares centrais do edifício Atlântico Estoril Residence, conhecido por o condomínio mais caro de Portugal.

Com 59 quartos, o novo hotel de cinco estrelas envolveu a reformulação do espaço que anteriormente era o hotel Atlântico Estoril, de forma a corresponder aos padrões do InterContinental, ficando agora com uma sala exclusiva para clientes VIP, quartos com design específico, além de outros complementos, como os equipamentos das cozinhas, etc. Relativamene aos preços actualmente praticados, as diárias no Intercontinental Estoril estão na casa dos €300 a €500, e nas suites atingem €720.

"Este projecto do Estoril significa muito para nós, é o primeiro de um novo conceito que queremos lançar na Europa, de luxo em hotéis-boutique. Tradicionalmente, o nosso portofólio é composto por hotéis maiores e nos centros das cidades", adianta o responsável da InterContinental, lembrando aqui que o grupo adquiriu no ano passado a cadeia americana Kinptom, virada para hotelaria de charme.

No emblemático edifício residencial do Estoril, a InterContinental viu "uma grande oportunidade" para abrir um hotel já no conceito que quer desenvolver, de unidades menores e em localizações mais exclusivas. "Este não é um hotel urbano, é mais um resort",frisa Vincelli, chamando a atenção para as suas piscinas ou jardins com plantas estilizadas, além do facto de todos os quartos terem varanda com vista de mar. "Queremos dar às pessoas a impressão da imensidão do oceano, e o design deste hotel foi todo desenvolvido neste conceito".

Os serviços do hotel, segundo o director-geral, têm sido utilizados também pelos residentes do condomínio, como o restaurante, o Spa ou o ginásio. Até à data, os clientes têm sido sobretudo europeus, "vêm de Inglaterra, Espanha ou França, à semelhança do destino Cascais-Estoril, mas também temos americanos, brasileiros e outras nacionalidades como finlandeses, sem esquecer os portugueses".

"O Estoril era conhecido como a Riviera portuguesa - e ainda hoje é conhecido assim", nota Giuseppe Vincelli. "Toda a realeza vinha aqui, porque o país era neutral durante a Segunda Guerra Mundial, e nesse tempo era difícil viajar na Riviera francesa, com o país ocupado. Este foi, durante décadas, dos poucos sítios agradáveis e bonitos para vir em férias, Há muita história aqui".

O resultado rápido que o hotel do Estoril está a atingir em termos de taxa de ocupação também se deve, segundo Giuseppe Vincelli, ao facto "da presença da IntercOntinental em Portugal já ser bastante sólida e da marca ser muito conhecida".

O hotel do Estoril é o terceiro em Portugal a ostentar a bandeira InterContinental que já há quatro anos abriu um hotel no Porto, no Palácio das Cardosas e no ano passado outro em Lisboa, no ex-Tiara Park Atlantic junto ao Parque Eduardo VII ( que já foi Le Méridien).

cyberjornal, 20 Agosto 2015

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!