Dia do Bombeiro Português - Cascais palco de mobilização inédita na história dos bombeiros


bombeirosMV8cyPor (*): Sofia Ribeiro (texto)

             Marques Valentim (fotos)

Cerca de três centenas e meia de associações humanitárias e corpos de bombeiros de todo País, marcaram presença nas comemorações do Dia do Bombeiro Português, que este ano tiveram como palco a vila de Cascais.

Perante uma imponente e representativa força Marcelo Rebelo de Sousa entregou o Estandarte Nacional à Liga dos Bombeiros Portugueses, um momento maior, numa cerimónia de homenagem e reconhecimento aos milhares de homens e mulheres, que norteados pelo lema “Vida por Vida”, escolheram ser melhores, entre eles Paulo Oliveira e Dulce Leitão, que, arriscando a suas vidas, salvaram as de duas crianças.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BombeirosMVcyCascais foi cenário de um evento único marcado por um imponente desfile de cerca de 350 estandartes de associações e federações distritais de todo o país, numa impressionante demonstração de força: Uma intensa polémica, provocada por declarações do Secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, repercutiu-se em acusações e exigências à Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) e no apelo ao boicote às comemorações do Dia do Bombeiro Português, ao qual os bombeiros responderam com mobilização inédita.

Marcelo Rebelo de Sousa presidiu à sessão e agraciou a confederação com o Estandarte Nacional, no que terá sido um dos momentos altos de sessão testemunhada por muitas centenas de populares. Igual a si próprio, anuindo a um repto de Jaime Marta Soares, o chefe de Estado fez “tábua rasa”, do protocolo, que não previa sua a intervenção, e dirigiu-se aos bombeiros falando de emoção, mas sublinhando “o orgulho do presidente de Portugal” e “todos os portugueses que é mais que gratidão, que é mais que o reconhecimento”.

“Eu orgulho-me de ser presidente de uma Pátria que tem bombeiros como vós, os melhores bombeiros do mundo”, disse.

O presidente da Liga dos Bombeiros, Jaime Marta Soares, começou por enaltecer a figura dos homens e mulheres “predestinados para salvar os que estão em perigo”, com “altruísmo e de dádiva total” que, “nada mais pedem” que respeito e condições para exercerem a sua missão, sempre de forma exemplar e profissional, até porque, como sublinhou, “voluntariado nos bombeiros não é sinónimo de amadorismo”, é antes garantia de “conhecimento, competência profissionalismo elevado ao mais alto nível do saber”. Da mesma forma, valorizou o importante papel das associações humanitárias nas mais diversas áreas, para depois relembrar que “os bombeiros portugueses são o maior movimento associativo existente em Portugal”.

Em dia de homenagem ao bombeiro, ainda que certo de que a discussão e análise dos problemas do setor têm sede própria e púlpitos mais adequados, Jaime Marta Soares não deixou de advertir que os "Soldados da Paz”, estão dispostos “a desenterrar o machado da paz para fazer a guerra”, caso as suas reivindicações não sejam atendidas, exigindo ali mesmo, apelando á “consciência, ao sentido de responsabilidade de quem tem o poder de decisão”, à tutela a revisão imediata da Lei de Financiamento, o reajuste da diretiva financeira que inclua o aumento da compensação diária aos bombeiros e a urgente criação do cartão social do bombeiro, como incentivo ao voluntariado.

Porque é que os poderes públicos instituídos não respondem favoravelmente às propostas que lhes são apresentadas pelos seus representantes, nomeadamente a Liga dos Bombeiros Portugueses, legitimada pela Lei e pela confiança que nela depositaram os bombeiros?”, indagou o presidente da LBP, salvaguardando que a confederação é “um parceiro que premeia o diálogo em detrimento do confronto, parceiro que não procura criar problemas, mas sim soluções, parceiro que combate o supérfluo na procura do essencial, com propostas concretas e objetivas.”

É chegado o momento de, perante a imensidão do bem praticado pelos bombeiros que os seus apelos sejam atendidos”, disse.

A ministra da Administração Interna, ouviu mas não reagiu, centrando a sua intervenção na “importância estratégica dos bombeiros”. “Os bombeiros constituem o eixo central do sistema de proteção civil e são o ativo mais precioso do País no garante e na salvaguarda da segurança das pessoas, dos seus bens e dos recursos do nosso território” disse Constança urbano de Sousa, sublinhado que este reconhecimento, “não se esgota nas palavras”, mas na intervenção do Governo no “reforço das infraestruturas e capacidade operacional”, mas, também, no “apoio á atividade das associações humanitárias” e no “incentivo ao voluntariado e promoção de melhores condições de trabalho para os bombeiros”. A governante prosseguiu elencando, uma vez mais, todos as verbas e as medidas tomadas, tendo destacado “a diretiva Financeira, aprovada este mês que, disse “vem responder às antigas e justas aspirações dos bombeiros portugueses”, pois “deixou de abranger apenas o período do DECIF, para abarcar todo o ano”.

O anfitrião Carlos Carreiras começou por saudar os bombeiros de Portugal que declarou serem “um exemplo de como servir os outros, uma inspiração sobre como amar o próximo”, para depois falar da “enorme honra e um tremendo orgulho em acolher a cerimónia”.

“É obrigação política e dever moral de quem exerce democraticamente o poder, seja ele local ou nacional, proteger os que nos protegem”, disse, e reconhecendo que “o Estado não pode fazer tudo sozinho” o presidente da câmara defendeu que “os cidadãos, as empresas e as forças da comunidade têm capacidade de fazer algo mais. Podem e devem fazer mais”.

Reconhecido que é o apoio que a autarquia cascalense garante aos cinco corpos de bombeiros, Carlos Carreiras fez questão de sublinhar que esta não será uma estratégia partidária até porque “a esquerda e a direita não entram em matéria de liberdade e segurança de populações”, ainda que os investimentos nestas áreas possam não se traduzir nos resultados eleitorais.

“É preciso fazer. É preciso fazer tudo, mesmo o que não dá votos. Essencialmente o que não dá votos”, enfatizou o autarca.

Bombeiro de Mérito

O momento maior da cerimónia foi, como não poderia deixar de ser, a entrega do galardão maior à bombeira de 3.ª dos Voluntários dos Carvalhos e ao subchefe Paulo Oliveira do Bombeiros de Almada, os “bravos” que, em situações limite, nortearam-se pelo lema “vida por vida”, correram riscos, mas cumpriram de forma exemplar a sua missão.

Paulo Oliveira resgatou, em 5 de outubro de 2016, com êxito uma menina, Maria Inês, então com dois anos de idade, que se encontrava com um braço entalado num elevador imobilizado a seis pisos de altura num edifício situado no Pragal, Almada.

O resgate foi feito através do poço do elevador em condições muito arriscadas mas perfeitamente assumidas pelo Paulo Oliveira, apoiado pela restante equipa de bombeiros (chefe Carlos Parada, os bombeiros de 2.ª David Marques, Elson Rodrigues e Hugo Santos, e o bombeiro de 3.ª Marco Isidoro)

Chegados, prontamente, ao local do acidente os bombeiros verificaram que a criança se encontrava com o braço preso entre a parede e o elevador e que este não dispunha de portas de proteção. Assim, através do poço Paulo Oliveira teve que desencadear uma complexa e arriscada operação de desencarceramento que implicou a desmontagem cuidadosa de componentes do elevador, mas demonstrou capacidade e preparação técnica mas também coragem e espírito de missão.

A operação foi também dificultada com a falta de iluminação e a falta de espaço para tal tendo o Paulo Oliveira recorrido apenas ao seu próprio telemóvel segurado com a boca.

Ao descrever o desenrolar do resgate Paulo Oliveira não deixou de salientar a cooperação da própria criança que “foi muito guerreira”, mantendo-se calma e sem chorar, mas, também, dos avós.

Volvidos meses, Paulo Oliveira não esquece aquele momento, um dos mais marcantes de uma longa carreira de 34 anos ao serviço do próximo. Em Cascais, o subchefe não escondeu a emoção ao olhar a pequena Maria Inês e sua família que fizeram questão de marcar presença na cerimónia, e embora este fosse um momento seu Paulo Oliveira fez questão de reafirmar que “o êxito da operação ficou a dever-se ao esforço e empenho da equipa”, dizendo “agradecer todos os dias” por servir o Corpo de Bombeiros de Almada.

Já Dulce Adriana Leitão foi atropelada na A4, em 22 de agosto de 2016, quando prestava assistência às vítimas de um acidente de viação com várias viaturas e multivítimas, perto do nó de Paredes.

Um grupo de bombeiros dos Voluntários dos Carvalhos deslocava-se, à noite, em direção a Marco de Canavezes, a fim de proceder à rendição de companheiros que se encontravam no combate a incêndios florestais, quando se deparou com o acidente registado momentos antes.

O facto do acidente ter ocorrido à noite, cerca das 23 horas, e provocado dispersão de destroços na via, constituiu desde logo um teatro de operações difícil de gerir.

Os bombeiros procuraram sinalizar o local com os rotativos das suas viaturas e com o auxílio de lanternas começaram a prestar auxílio às vítimas, ao mesmo tempo que acionavam outros meios de socorro para o local.

Apesar de a sua presença estar sinalizada, os bombeiros estiveram sempre atentos às viaturas de passagem. Porém, constituindo sempre uma missão de risco, Dulce Leitão acabou por ser atropelada por uma dessas viaturas quando prestava assistência a um menino de 12 anos. Apercebendo-se do atropelamento eminente a bombeira protegeu João e com esse gesto acabou por sofrer graves sequelas, com fraturas múltiplas na perna esquerda que implicaram intervenções cirúrgicas. Dulce, estudante do 3.º ano enfermagem, ainda está em processo de recuperação, mas já conta os dias para regressar ao quartel dos Carvalhos onde é voluntária há já alguns anos.

Por Despacho da Ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, Dulce Leitão e o subchefe Paulo Oliveira foram, ainda, agraciados na ocasião com a medalha de mérito de Proteção e Socorro, no grau ouro e distintivo azul.

Os bombeiros de mérito receberam, ainda, um prémio pecuniário no valor de três mil euros atribuído da Fundação Montepio Geral, que há já muitos anos se assume como parecia da LBP nesta importante organização.

 

Menções honrosas

No âmbito deste galardão foram ainda distinguidas com menções honrosas na categoria “Câmara Municipal” as autarquias de Vila Franca de Xira, de Almada e Odivelas; na categoria de “Dirigente Associativo”, João Machado Coelho Tinoco, presidente da direção da Associação Humanitária dos Bombeiros de Vila Nova de Famalicão. Na categoria “Elemento do Quadro de Comando”, o júri do prémio deliberou reconhecer o trabalho desenvolvido pelos comandantes José António Beleza Ferraz, dos Voluntários de Barcelinhos e Bruno Miguel Oliveira Alves, dos Famalicenses. Foram igualmente condecoradas as empresas LBC Tanquipor, S.A. e Vieira de Castro – Produtos Alimentares, S.A.. Como “Personalidade da Sociedade Portuguesa” foi agraciado o comendador Jorge da Conceição Lopes.

Refira-se que foram várias as candidaturas nas diferentes categorias analisadas pelo Júri Nacional do Prémio Bombeiro de Mérito integrou o presidente e vice-presidente do Conselho Executivo da LBP, respetivamente Jaime Marta Soares e António Rodeia Machado; o presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil, Joaquim Leitão; o presidente da Escola Nacional de Bombeiros, José Ferreira; o presidente da Rádio Renascença, Pe Américo Aguiar e João Raimundo, membro do Conselho de Administração Executivo da Caixa Económica Montepio Geral, mecenas do prémio

À margem do prémio, a Liga dos Bombeiros Portugueses deliberou, ainda agraciar com menções honrosas, em reconhecimento do apoio concedido ao evento a Câmara Municipal de Cascais e o Secretariado das Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários do Concelho de Cascais e ainda o comandante Pedro Araújo, coordenador das operações que envolveram a organização do Dia do Bombeiro Português.

Refira-se que o programa teve início na manhã de domingo quando Cascais recebeu o facho que acendeu a pira instalada no nobre Largo 5 de outubro, vindo do Algarve e transportado pelos Bombeiros de Portimão, que o ano passado acolheram este evento, ao que se seguiu a celebração de missa na igreja matriz da vila.

 

Quartel eletrão

Cascais foi ainda o cenário escolhido pela Associação Portuguesa de Gestão de Resíduos (Amb3E) para proceder à atribuição do Prémio Quartel Eletrão, que envolveu 164 corpos de bombeiros, que ao longo de quatro meses reuniram 1080 toneladas de equipamentos elétricos e pilhas usadas, que geraram um apoio direto aos participantes na ordem 70 mil euros, entre os quais uma ambulância de transporte múltiplo à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Amarante, cuja chave foi, simbolicamente, entregue nesta ocasião pelo presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares e pelo Secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins.

Foram beneficiados por este projeto ambiental, com 10 cartões de combustível, no valor de 500 euros, os Bombeiros de Famalicão da Serra, Vila Franca das Naves, Pampilhosa da Serra, Pinhão, São João da Pesqueira, Vila Nova de Tazém, Fornos de Algodres, Caxarias, Mira de Aire e Alandroal. O Prémio Quartel Eletrão recompensou ainda os Voluntários da Pampilhosa e de Marco de Canavezes com 1500 euros em Equipamentos de Proteção Individual.

 

 

 

BOMBEIRO DE MÉRITO 2016

“Um bombeiro está sempre preparado para ajudar quem precisa e foi apenas isso que eu fiz. Falo frequentemente com o João e a sua família que vivem em França mas que têm acompanhado o meu processo de recuperação e até já me visitaram. 

bombeirospremioMV3

Ainda tenho algumas sequelas do acidente, que eu sei que vão passar quando eu regressar ao ativo, o que deverá acontecer já no próximo mês. O reconhecimento é bom, mas há maior prémio do que salvar uma vida.”

Dulce Leitão, bombeira de 3.ª dos Voluntários dos Carvalhos

 

“Este prémio e importante porque é a prova de que cumpri a minha missão. Mais importante que tudo é que a Maria Inês está aí hoje sem qualquer problema. Foi emocionante receber este prémio do Senhor Presidente da República.”

Paulo Oliveira, subchefe dos Bombeiros de Almada

 

 

 

 

bombeirospremioMV4CÂMARA MUNICIPAL

Este menção honrosa é um enorme estímulo e um reconhecimento do nosso apoio aos corpos de bombeiros do município que, ainda assim, fica muito aquém daquilo que os bombeiros nos dão, tanto através das associações, como a título pessoal”.

Joaquim Judas, presidente da Câmara Municipal de Almada

Este é um reconhecimento que muitos nos honra, porque surge do reconhecimento do apoio que temos vindo a prestar aos seis corpos de bombeiros no concelho e, na verdade este troféu é para eles. Quando estabelecemos prioridades, devemos colocar este movimento de voluntariado na primeira linha e é isso mesmo que fazemos assegurando o reequipamento, reforçando os meios e investindo na formação dos operacionais”.

Alberto Mesquita, presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira

“O reconhecimento que a Liga dos Bombeiros Portugueses teve para com a Câmara Municipal de Odivelas revela-se como um enorme estímulo para os homens e mulheres que todos os dias trabalham no Serviço Municipal de Proteção Civil desta Autarquia, tal como para todos os bombeiros e bombeiras do concelho de Odivelas que sabem que podem contar connosco”.

Câmara Municipal de Odivelas

 

 

 

 

bombeirospremioMV5ELEMENTO DO QUADRO DE COMANDO

“Estou muito orgulhoso pois este prémio que também é importante para a minha família, quase sempre prejudicada pela minha total dedicação à causa, mas, também para a direção dos Famalicenses e, obviamente, com os bombeiros. Na verdade, este é o símbolo do muito trabalho desenvolvido por todos no último ano.”

Bruno Oliveira Alves, comandante do Corpo de Bombeiros Famalicenses.

“Gratidão e honra de ser distinguido pela Liga dos Bombeiros Portugueses. Este é um galardão que quero partilhar com os meus bombeiros e a direção da associação, em especial com o presidente que muito tem contribuído para nos dar as melhores condições para que possamos servir cada vez melhor a população.”

José Beleza Ferraz, comandante do Corpo de Bombeiros de Barcelinhos

 

 

 

bombeirospremioMV2EMPRESA

“Foi com grande satisfação e muita honra que a LBC Tanquipor, S.A. recebeu esta Menção Honrosa, numa bonita e muito merecida cerimónia que assinala o Dia do Bombeiro Português.

Uma relação estreita e de cooperação com os Bombeiros tem sido um fator muito importante no desenvolvimento e manutenção dos sistemas de prevenção, segurança e formação da empresa, relação essa que assenta em dois valores chave: confiança e disponibilidade. Trabalhamos para que essa relação de cooperação com os Bombeiros continue a ser um fator estratégico na base dos nossos sistemas de segurança, e que da mesma resultem aprendizagem e experiência partilhados”

Nelson Marques, diretor do terminal e administrador da LBC Tanquipor, SA (Barreiro)

“Sinto-me orgulhoso deste prémio que reconhece a ligação que a empresa mantém há quase 50 anos com os Voluntários Famalicenses. Na verdade até já me sinto bombeiro tal é ligação a estas associações, a estes homens e mulheres. Fico feliz com esta condecoração que me obriga a continuar apoiar tão nobre causa.”

Carlos Vieira de Castro, presidente da Conselho de Administração da Vieira de Castro, Produtos Alimentares, SA (Vila Nova de Famalicão)

 

bombeirospremioMVPERSONALIDADE DA SOCIEDADE PORTUGUESA

“Não tenho certeza se mereço tão honrosa homenagem, mas se os amigos assim entendem, os meus melhores agradecimentos”

Comendador Jorge da Conceição Lopes, sócio benemérito da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Figueiró dos Vinhos. Porque o agraciado se encontrava fora do País e o galardão foi recebido por Luís Filipe Silva, presidente da direção dos Voluntários de Figueiró dos Vinhos.

 

 

NR: O Dia do Bombeiro Português, que este ano teve por cenário a bela baía de Cascais, decorreu no passado dia 28 de maio.

 

 

 

 

 

 

 

 

(*) Artigo cedido pelo Jornal Bombeiros de Portugal

 

 

 

 

 

Mais fotos Marques Valentim: https://www.facebook.com/pg/Cyberjornal/photos/?tab=album&album_id=1462270467163089

 

JBP/cyberjornal, 1 junho 2017

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!